Future of Money

Abril tem baixa histórica em ataques e golpes envolvendo criptomoedas, mostra relatório

As perdas por ataques hacker e golpes atingiram seu menor nível desde 2022, quando a CertiK começou a registrar os dados, com ataques de empréstimos flash e hacks de chaves privadas diminuindo

 (shapecharge/Getty Images)

(shapecharge/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 1 de maio de 2024 às 16h30.

Última atualização em 2 de maio de 2024 às 10h09.

Tudo sobreCriptomoedas
Saiba mais

Abril foi um mês recorde em queda do valor roubado por hackers em criptomoedas, de acordo com um relatório da CertiK. Apenas US$ 25,7 milhões foram perdidos em ataques ao longo do mês, a menor quantia desde que a CertiK começou a acompanhar esses dados em 2021.

De acordo com o relatório, as perdas devido a ataques hackers e golpes diminuíram 141% em relação ao mês anterior. A queda se deve principalmente à falta de comprometimentos de chaves privadas. Em março, houve 11 ataques contra protocolos via comprometimentos de chaves privadas, enquanto em abril, houve apenas três.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Apesar dessa boa notícia para os usuários de criptomoedas, alguns ataques hacker e golpes notáveis durante o mês causaram perdas de centenas de milhares e até mesmo milhões de dólares. A Memecoin Condom "divulgou um endereço de pré-venda na rede Solana", que foi usado para drenar fundos de usuários desavisados. Um total de aproximadamente US$ 933.000 em criptomoedas foi perdido nesse ataque.

A exchange Bitcoin Lightning Network FixedFloat também sofreu um grande ataque em 1º de abril, perdendo aproximadamente US$ 3 milhões no processo. Esta foi a segunda vez em 2024 que a FixedFloat foi atacada. O incidente anterior ocorreu em fevereiro.

Dos US$ 25,7 milhões em perdas totais relatadas para o mês, uma parte significativa — US$ 21 milhões — foi atribuída a ataques, sendo que apenas três dessas violações resultaram em mais de US$ 1 milhão em danos cada.

Os ataques de empréstimo relâmpago representaram US$ 129.000 em perdas, sendo que o maior incidente único causou US$ 55.000 em danos. Segundo a CertiK, isso marcou a menor incidência de ataques de empréstimo relâmpago desde fevereiro de 2022. Além disso, ocorreram 13 golpes de saída durante o mês, refletindo uma redução de 40% em relação a março.

A CertiK afirmou que esses números não incluíam o ZKasino, um projeto que impediu os investidores de retirar os fundos que haviam depositado. Embora o relatório considere o projeto envolvido em uma 'controvérsia', ainda não o rotulou como golpe.

A plataforma de segurança afirmou que atualizará seus números se o ZKasino for confirmado como agindo de forma nefasta. O ZKasino transferiu fundos para o protocolo Lido em 22 de abril, irritando muitos de seus usuários.

Logo após a divulgação do relatório da CertiK, o aplicativo de finanças descentralizadas Yield Protocol foi alvo de um ataque que resultou em uma perda de US$ 181.000. O Yield havia sido oficialmente encerrado pelo seu desenvolvedor. No entanto, devido à natureza imutável dos contratos inteligentes, alguns usuários ainda podem interagir com eles.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosHackers

Mais de Future of Money

Aversão a riscos derruba bitcoin e ether, mesmo após lançamento de ETFs

Computação espacial: conheça área que pode gerar R$ 780 bilhões até 2030

Gestora Franklin Templeton mira em ETF de Solana após sucesso dos fundos de Ethereum

Ingressos tokenizados: como funcionam e como podem combater golpes e pirataria no setor?

Mais na Exame