Future of Money

Vanguard anuncia novo CEO pró-bitcoin após críticas contra a criptomoeda

Segunda maior gestora do mercado financeiro ainda proíbe investimentos em ETFs de bitcoin na sua plataforma, mas posição pode mudar

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 15 de maio de 2024 às 14h21.

A gestora Vanguard, considerada a segunda maior do mercado financeiro em termos de ativos sob gestão, anunciou nesta quarta-feira, 15, que Salim Ramji foi escolhido para assumir o cargo de CEO da empresa. A novidade foi recebida com entusiasmo entre os investidores de criptomoedas por indicar uma possível mudança na postura da gestora em relação a essa classe de ativos.

Antes de se tornar CEO da Vanguard, Ramji atuou como líder global da iShares & Index Investing, empresa controlada pela BlackRock e especializada na criação de produtos de investimento para clientes. Segundo um comunicado da Vanguard, o executivo atua há mais de 25 anos no mercado financeiro.

Foi durante a liderança de Ramji que a iShares e a BlackRock entraram com um pedido junto à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, a SEC, para lançar um ETF de preço à vista de bitcoin. O movimento da gestora foi visto como crucial para a aprovação de 11 pedidos de lançamento de ETFs pela SEC em janeiro deste ano.

À época, Ramji defendeu a decisão da BlackRock e destacou que "a tecnologia por trás do bitcoin, a tecnologia blockchain, é algo que nos deixa muito animados. Ela reduz as fricções no ecossistema, e para nós, focamos em como reduzir as fricções no ecossistema".

Ele comentou ainda que o ETF tem a importância de dar acesso aos investidores a um determinado ativo novo, em uma decisão que Ramji comparou à decisão da BlackRock de lançar um ETF de ouro há mais de 20 anos. "É sobre como abraçamos novas tecnologias e como ajudamos os investidores a ter acesso a uma parte do mercado que, do contrário, teria um acesso mais caro, mais difícil", pontuou.

No comunicado divulgado pela Vanguard, Ramji comentou que "o panorama atual para os investidores está mudando, o que apresenta uma oportunidades para a Vanguard levar a cabo a sua missão de proporcionar às pessoas as melhores oportunidades de sucesso nos investimentos, o que é mais relevante hoje do que em qualquer momento nas cinco décadas de história da empresa".

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Ex-CEO fez críticas ao bitcoin

Ramji assumirá o cargo no lugar de Tim Buckley, que renunciou recentemente ao comando da gigante do mercado. Buckley ficou conhecido no mundo cripto pela sua postura crítica ao bitcoin. Na visão dele, a criptomoeda é um "ativo especulativo" e não uma reserva de valor.

Nesse sentido, Buckley definiu uma proibição para os investimentos em ETFs de bitcoin na plataforma da Vanguard. A decisão foi criticada pelos defensores de ativos digitais, mas segue em vigor.

James Seyffart, analista de criptoativos da Bloomberg, comentou que, mesmo com a mudança no comando da Vanguard, ainda "parece pouco provável" que a gestora lance um ETF de bitcoin próprio, "ao menos no curto prazo". Entretanto, ele acredita que é possível que o novo CEO "reverta a postura da Vanguard de proibir os investimentos nos ETFs em sua plataforma".

"Salim Ramji supervisionou o pedido e a logística do ETF da BlackRock e há diversas falas sobre seu interesse em ativos digitais. Embora não tenho certeza se isso mudará a postura da Vanguard, ele será o CEO. Então quem sabe... há uma porta muito mais aberta agora", opinou Eric Balchunas, analista de ETFs da Bloomberg.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativosETFs

Mais de Future of Money

O impacto tokenização de commodities: o caso dos tokens de ouro do HSBC

Tokenização do agronegócio: a tecnologia revoluciona financiamento para o setor

Eleições nos EUA estão ligadas à aprovação dos ETFs de ether; entenda a influência

Gigantes cripto citam 'marco significativo' para o setor e 'legitimação' da Ethereum com ETFs

Mais na Exame