Future of Money

Rede do bitcoin processa 1,6 milhão de pagamentos e bate recorde diário

Novo recorde ocorreu dias após a conclusão do halving e reflete popularidade do protocolo Runes no blockchain

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 2 de maio de 2024 às 09h30.

A rede Bitcoin registrou o maior número de pagamentos confirmados em um único dia em 23 de abril, estabelecendo um novo recorde para o blockchain. Alguns dias após a conclusão do halving, que ocorreu em 19 de abril, o projeto processou mais de 1,6 milhão de transações únicas entre remetentes e destinatários.

Comparando dados das plataformas Blockchain.com e Glassnode, é possível notar uma correlação direta entre o lançamento do Runes — um protocolo alternativo ao Ordinals e ao BRC-20 para a criação de tokens não-fungíveis (NFTs) — e o aumento nas transações diárias da rede.

De acordo com dados da Dune Analytics, as Runes representaram 81,3% de todas as transações na rede Bitcoin em 23 de abril. No entanto, o bitcoin eventualmente recuperou a maior parte das transações na rede. Em 29 de abril, a criptomoeda representou 77,8% de todas as transações, enquanto as Runes contribuíam com 18,8%.

Outras transações em 29 de abril na rede Bitcoin incluíram transações com Ordinals (1,2%) e transações com tokens BRC-20 (2,3%). O aumento no número de transações de Runes tem funcionado a favor da indústria de mineração.

Duas das maiores empresas de mineração operando nos Estados Unidos, a Stronghold Digital Mining e a Marathon, destacaram a influência positiva do protocolo tanto do ponto de vista financeiro quanto funcional. As transações mais de 1.200 bitcoins em taxas de transação para os mineradores desde que o halving ocorreu.

Logo após o seu lançamento, o protocolo resultou em mais de US$ 135 milhões (R$ 675 milhões, na cotação atual) em taxas pagas na rede. O processo de criação e posterior negociação dos tokens criados demanda o pagamento de taxas no blockchain do bitcoin. 

Por outro lado, as taxas têm flutuado significativamente desde o halving. No dia 20 de abril, logo após o evento, as taxas chegaram a um pico de US$ 170 para transações de alta prioridade. Poucas horas depois, porém, as taxas despencaram e acabaram chegando a US$ 12,37 para movimentações de alta prioridade no dia 22 de abril.

Entretanto, as taxas voltaram a subir nos dias posteriores até o patamar atual. Com isso, os mineradores de bitcoin também têm obtido valores recordes de receita com as taxas. Após o halving, a receita diária ultrapassou a casa dos US$ 100 milhões pela primeira vez.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinBlockchainCriptomoedas

Mais de Future of Money

SEC autoriza lançamento de primeiros ETFs de Ethereum nos EUA

Investidores do bitcoin ainda não precificaram possível vitória de Trump, diz gestora

Bitcoin bate máxima histórica de preço em relação ao real, mesmo sem recorde em dólar

Bolsa de Chicago divulga data de estreia de ETFs de Ethereum nos EUA

Mais na Exame