Golpe do WhatsApp chega aos álbuns de figurinhas; veja quais cuidados tomar

Febre mundial, golpistas se aproveitam do desejo dos consumidores e oferecem facilidades em troca dos cromos
Promoções e sorteios estão entre os principais golpes envolvendo colecionadores (Marijan Murat/picture alliance/Getty Images)
Promoções e sorteios estão entre os principais golpes envolvendo colecionadores (Marijan Murat/picture alliance/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 21/09/2022 às 13:02.

A febre dos álbuns de figurinhas da Copa do Mundo 2022, que será realizada no Catar, toma conta dos torcedores de todo o mundo, e no Brasil não poderia ser diferente. O país é o maior consumidor deste produto de acordo com dados divulgados pela Panini, seguido pela Alemanha.

Mas assim como acontece em tantos outros casos da nossa sociedade, os golpes de WhatsApp também surgem na mesma proporção que a venda desses produtos. O principal deles é um envio de links com supostas promoções de figurinhas.

Um outro golpe que tem acontecido com frequência é sobre o sorteio de centenas de cromos. Os golpistas enviam um link com perguntas sobre a seleção brasileira e a Copa do Mundo, e os interessados que clicaram concorrem automaticamente ao prêmio, que é falso.

Para Flávio Ordoque, advogado, diretor jurídico na Biolchi Empresarial e professor de pós-graduação em Direito e Processo do Trabalho, é importante que o consumidor se mantenha em alerta quanto às evidências.

"As vantagens supostamente oferecidas deveriam ter uma coerência mínima, como o prazo e os motivos delas acontecerem. Estando o álbum em evidência, e a Copa sequer ter acontecido ainda, então por que razão a editora já iria querer liquidar o produto ainda em alta? Nao faz sentido", explica.

Também pelo Instagram está sendo possível detectar algumas armadilhas com relação ao álbum da Copa, por meio de anúncios falsos patrocinados pela Panini. Ao clicar, o usuário é direcionado para um perfil que também promete figurinhas promocionais, quando na verdade é mais um golpe.

"Outros cuidados como não compartilhar dados pessoais ou clicar em links desconhecidos são importantes de serem observados, mesmo porque já vigora no Brasil a Lei Geral de Proteção de dados. Então, o que se observa sao violações ao Código do Consumidor, à LGPD e, claro, a conduta criminosa", complementa Ordoque.

Para Bruna Allemann, educadora financeira da fintech Acordo Certo, é preciso ter cuidado redobrado com as opções cada vez mais tentadoras que os golpistas andam realizando, entre elas, a dos álbuns de figurinhas.

"Às vezes a gente se coloca em situações de golpes e fraudes porque nós queremos encurtar o caminho. Mas o barato pode sair caro. Para não correr o risco de cair em falsas promoções e perder o seu dinheiro, a principal dica é: não compre por impulso. Dê preferência para realizar compras em postos oficiais de venda e, no caso de compras online, verifique se o site é seguro e a avaliação dos consumidores", acrescenta.