Como a Ambev transformou relações corporativas em relações com a sociedade

A empresa de bebidas criou uma vice-presidência focada no trato com as comunidades. Carla Crippa, responsável pela área, explica como ela funciona no podcast ESG de A a Z
 (Ambev/Divulgação)
(Ambev/Divulgação)
Por Rodrigo CaetanoPublicado em 25/04/2022 11:47 | Última atualização em 25/04/2022 11:47Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Como diria Abelardo Barbosa Figueiredo, o popular Chacrinha, dono das tardes de domingo da TV brasileira na década de 80, “quem não se comunica, se trumbica”. Não por acaso, as empresas sempre trataram a questão do relacionamento com o público externo como estratégica, e na era do capitalismo de stakeholder, esse aspecto do negócio ganhou importância. Afinal, sem se comunicar, não é possível gerar valor para todas as partes interessadas.

Na Ambev, esse desafio de se comunicar melhor com os stakeholders, tanto para ouvir, quanto para falar, levou a uma transformação da área de relações corporativas. Antes centrada em questões mais ligadas à atividade principal da companhia, e no relacionamento com reguladores e legisladores, a área incorporou o papel ser a persona da Ambev, mudando até de nome: de relações corporativas para relações com a sociedade.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui:

“Não conheço outra empresa que tenha adotado esse nome”, afirma Carla Crippa, vice-presidente de relações com a sociedade da Ambev. “Percebemos que esse nome ‘corporativa’ dava uma conotação muito burocrática. E não é isso. Nosso papel é se relacionar com as comunidades.” A executiva contou ao podcast ESG de A a Z como se deu essa transformação e as estratégias da Ambev para se relacionar melhor com as comunidades.

A Ambev e as conversas de bar

Crippa afirma que a Ambev enxerga o bar, seu principal ponto de venda, como um lugar de reunião e confraternização comunitária. Nesse sentido, ele acaba funcionando como um canal importante de comunicação, em que a postura de uma empresa de bebidas faz diferença. Há oito anos, por exemplo, a empresa deixou de utilizar imagens sensuais de mulheres em suas propagandas, que passou a focar na ideia da celebração e do brinde. Levada aos botecos e botequins de todo o Brasil, essa comunicação tem um impacto relevante.

Outra mudança significativa foi no relacionamento com o público universitário. A Ambev deixou de patrocinar festas de faculdades e investiu em pesquisas para identificar os hábitos de consumo alcoólico dos jovens. “Nós perguntamos o quanto eles bebiam e se achavam que bebiam mais ou menos que seus colegas”, disse Crippa. “Descobrimos que os jovens universitários têm uma percepção equivocada do quanto seus colegas bebem, o que também se reflete na percepção do quanto eles mesmo bebem. Na realidade, o consumo é menor do que se imagina.”

Ouça a entrevista completa aqui

A Ambev investe para zerar as emissões de carbono dos fornecedores

Para zerar as emissões líquidas de carbono próprias e de terceiros até 2040, a fabricante de bebidas Ambev busca influenciar todo o ecossistema ao incentivar e ajudar os fornecedores a cumprirem a meta. Para isto, foi formado o Compromisso pela Ação Climática.

Atualmente, 160 parceiros assinaram o acordo. Entre eles, estão os 16 dos maiores fornecedores da Ambev, como a Cooperativa Agraria, Valgroup, Vivo, WestRock, Concordia Logística, Ingredion e Ecolab, que juntos representam 50% dos fornecedores em volume de compras.

“Esse é um compromisso coletivo e colaborativo. Vamos apoiar todos os parceiros, incluindo aqueles que ainda não entraram na aliança e não amadureceram sua jornada de descarbonização, e ajudá-los a fortalecer suas políticas ambientais, o que vai dar novas perspectivas aos negócios. Serão treinamentos, consultorias e encontros frequentes com o nosso time para que possam avançar e fazer parte da aliança”, comenta Rodrigo Figueiredo, Vice-Presidente de Sustentabilidade e Suprimentos.

Assine a EXAME e conte com a ajuda dos maiores especialistas do mercado na hora de investir.