Vendas no varejo da Alemanha têm alta em março

A alta abaixo do esperado levantou preocupações sobre o suporte que o consumo privado pode dar para a economia alemã em um período de fraqueza da demanda global

Berlim - As vendas no varejo da Alemanha subiram menos do que o esperado em março, mostraram dados preliminares nesta segunda-feira, levantando preocupações sobre o suporte que o consumo privado pode dar para a economia alemã em um período de fraqueza da demanda global.

O indicador de vendas no varejo subiu 0,8 por cento em março na comparação com o mês anterior em termos reais, abaixo da estimativa de uma alta de 1 por cento.

Na comparação anual, entretanto, as vendas no varejo subiram 2,3 por cento, bem acima da perspectiva de alta de 0,5 por cento.

"As vendas no varejo alemãs permaneceram sem brilho apesar de fundamentos bastante positivos como baixa taxa de desemprego e queda da inflação", disse Christian Schulz, do Berenberg Bank.

"Apesar da taxa de desemprego mais baixa desde a reunificação, queda da inflação e uma retomada do crescimento dos salários, o consumo alemão permanece relativamente fraco", completou ele.

O consumo privado, impulsionado por um sólido mercado de trabalho, é considerado o trunfo econômico da Alemanha que pode dar suporte à economia em tempos difíceis.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.