Economia

Setor de serviços cresceu 0,7% entre junho e julho

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, do IBGE, a receita nominal cresceu 1,2% entre junho e julho deste ano


	Serviços: os transportes, serviços auxiliares de transporte e correio tiveram queda de 0,3%
 (Reza Estakhrian/Getty Images)

Serviços: os transportes, serviços auxiliares de transporte e correio tiveram queda de 0,3% (Reza Estakhrian/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de setembro de 2016 às 09h43.

O volume do setor de serviços cresceu 0,7% em julho deste ano, na comparação com o mês anterior, depois de recuar 0,2% em junho.

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a receita nominal cresceu 1,2% entre junho e julho deste ano.

Nos outros tipos de comparação, o volume registrou quedas: em relação a julho de 2015 (-4,5%), no acumulado ao ano (-4,8%) e no acumulado de 12 meses (-4,9%).

A receita teve altas de 0,3% na comparação com julho do ano passado, 0,2% no acumulado do ano e 0,1% no acumulado de 12 meses.

A alta de 0,7% entre junho e julho deste ano foi motivada por crescimentos nos segmentos de serviços prestados às famílias (3,2%), outros serviços (1,9%), atividades turísticas (0,7%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (0,3%).

Os serviços de informação e comunicação mantiveram-se estáveis, enquanto os transportes, serviços auxiliares de transporte e correio tiveram queda de 0,3%.

Acompanhe tudo sobre:ComunicaçãoEstatísticasIBGEIndicadores econômicosServiços diversosTurismo

Mais de Economia

Corte anunciado por Haddad é suficiente para cumprir meta fiscal? Economistas avaliam

Qual é a diferença entre bloqueio e contingenciamento de recursos do Orçamento? Entenda

Haddad anuncia corte de R$ 15 bilhões no Orçamento de 2024 para cumprir arcabouço e meta fiscal

Mais na Exame