Economia
Acompanhe:

Ministro Armando Monteiro rechaça clima de pessimismo

Ele lembrou que o País já superou momentos de pressão inflacionária e choque cambial


	Armando Monteiro: "Já tivemos exemplos de que o Brasil é capaz de superar dificuldades episódicas e dificuldades até maiores do que a que estamos vivendo"
 (Pedro França/Agência Senado)

Armando Monteiro: "Já tivemos exemplos de que o Brasil é capaz de superar dificuldades episódicas e dificuldades até maiores do que a que estamos vivendo" (Pedro França/Agência Senado)

B
Bernardo Caram

24 de março de 2015, 14h59

Brasília - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Externo (MDIC), Armando Monteiro, disse nesta terça-feira, 24, que há um clima de pessimismo que não encontra correspondência com a realidade do País.

"Já tivemos exemplos de que o Brasil é capaz de superar dificuldades episódicas e dificuldades até maiores do que a que estamos vivendo", disse.

O ministro disse que, neste momento, a economia brasileira precisa fazer ajustes.

"Um ajuste rápido para que se promova o reequilíbrio da economia brasileira, precondição para a retomada de investimentos e novo ciclo de crescimento", afirmou.

Ele lembrou que o País já superou momentos de pressão inflacionária e choque cambial.

"Precisamos acreditar que haveremos de superar essas dificuldade que enfrentamos", completou durante participação em evento em discurso para empresários e parlamentares na Confederação Nacional da Indústria (CNI)..

Monteiro avaliou há pouco que o atual patamar do dólar é uma oportunidade para o Brasil recuperar a posição que perdeu no mercado internacional.

"O Brasil viveu um período longo de apreciação da moeda. Isso impôs um ônus muito grande à indústria", lembrou o ministro.

"Como há fatores estruturais na equação da competitividade que não podem ser resolvidos a curtíssimo prazo - associados a logística, infraestrutura e custo de capital - o câmbio é um elemento importante neste momento para mitigar e para compensar algumas desvantagens que o Brasil ainda tem", avaliou.

Monteiro disse ainda que está na hora de o Congresso deliberar sobre regulamentação da terceirização. "É um debate que foi feito longamente no Congresso, já há um amadurecimento", afirmou.