FMI, Mongólia e bancos chegam a acordo sobre empréstimo

Eles acertaram as condições para um pacote de empréstimo de mais de US$ 5 bilhões ao país, para ajudar a recuperar a sua economia

Mongólia - O governo da Mongólia, representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI) e outras instituições envolvidas anunciaram neste domingo que chegaram a um acordo sobre as condições para um pacote de empréstimo de mais de US$ 5 bilhões ao país, para ajudar a recuperar a sua economia.

O acordo está sujeito à aprovação do conselho executivo do FMI, que deve avaliar o pedido de Mongólia em março.

Sob o acordo preliminar, o FMI forneceria US$ 440 milhões em três anos; o Banco de Desenvolvimento Asiático, o Banco Mundial, o Japão e a Coreia devem fornecer até US$ 3 bilhões; e o Banco Popular da China deve ampliar sua linha de swap de 15 bilhões de RMB (US$ 2 bilhões) com o Banco da Mongólia por ao menos mais três anos, disse o FMI em um comunicado.

O ministro das Finanças, Choijilsuren Battogtokh, disse que as negociações de seis meses foram duras e que o governo estaria revisando seu orçamento de 2017 antes de o conselho executivo do FMI avaliar se aprova ou não o empréstimo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.