EUA caminham para a normalização de juros, diz membro do Fed

Ele afirmou que o mercado de emprego dos Estados Unidos está "relativamente forte"; que a inflação se aproxima da meta do Fed de 2%

Um membro do Federal Reserve (Fed) disse nesta segunda-feira que a queda da oferta de mão de obra pressiona o aumento de preços e justifica o lento aumento dos juros.

James Bullard, membro com direito a voto do Comitê de Política Monetária (FOMC, na sigla em inglês) do Banco Central, disse em um encontro em Pequim que três fatores favorecem o aumento gradual da taxa de juros.

Ele afirmou que o mercado de emprego dos Estados Unidos está “relativamente forte”; que a inflação se aproxima da meta do Fed de 2%; e que os obstáculos internacionais estão “se diluindo”.

“O mercado de trabalho superou o nível do pleno emprego”, avaliou Bullard. “Isso pode pressionar na futura inflação”, acrescentou.

Bullard admitiu que um mercado de trabalho com taxa de desemprego baixa pressionaria a inflação através dos salários.

Ele também disse que os recentes problemas econômicos internacionais, que justificaram a demora do Fed em endurecer a política monetária, “parecem se dissipar” no decorrer do ano.

O membro do Fed concluiu que o cenário parece pronto para que o FOMC, que se reunirá nos dias 14 e 15 de junho, adote “um ritmo progressivo de aumento dos juros”.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.