Desemprego continuará crescendo no mundo todo, diz OIT

Segundo o diretor-geral da Organização, Guy Ryder, é necessário pensar no emprego como mais do que uma forma de ganhar dinheiro
Desemprego: seria preciso criar 40 milhões de postos de trabalho a cada ano no mundo (David McNew/Getty Images)
Desemprego: seria preciso criar 40 milhões de postos de trabalho a cada ano no mundo (David McNew/Getty Images)
E
EFE

Publicado em 28/03/2017 às 08:47.

Última atualização em 28/03/2017 às 08:51.

Madri - O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, questionou nesta terça-feira a forma na qual, no mundo todo, foi administrada a crise econômica e advertiu que o desemprego seguirá crescendo.

"A cada ano há e haverá mais desempregados no mundo e isso tem consequências dramáticas", afirmou Ryder, em um café da manhã informativo organizado em Madri por Nova Economia Fórum.

O dirigente da OIT advogou pelo diálogo social e por colocar o emprego no centro das políticas públicas porque representa muito mais do que uma forma de ganhar dinheiro; trata-se de "dar sentido à experiência humana".

Sobre o futuro, encorajou a não cair no "determinismo tecnológico" e a pensar no emprego de outra forma, mas respeitando as relações criadas.

Ryder observou que é preciso criar 40 milhões de postos de trabalho a cada ano no mundo, ao reconhecer que "isso não é possível".

Outras vias, observou, são compartilhar o trabalho ou apostar por garantias de ingressos universais.

Ryder também insistiu na necessidade de reduzir a lacuna salarial entre homens e mulheres, que em nível global é de 23%.

"As mulheres trabalham às sextas-feiras de graça", disse ao tentar explicar exemplificando essa situação.

Já com relação à situação política global, insistiu que o Brexit "foi um erro" e pediu atenção às decisões dos Estados Unidos.