• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Copom eleva Selic para 6,25% ao ano

Foi o quinto aumento seguido da taxa de juros desde março, em um cenário de alta inflação, economia fraca e crise hídrica
 (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
(Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Por Alessandra AzevedoPublicado em 22/09/2021 18:39 | Última atualização em 22/09/2021 18:42Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Para tentar conter o avanço da inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira, 22, um novo aumento de um ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic: de 5,25% para 6,25% ao ano. Essa é a quinta alta consecutiva na taxa de juros e está dentro das expectativas do mercado. 

O aumento de um ponto percentual já era esperado. Na reunião anterior do Copom, em agosto, a autoridade monetária sinalizou um “outro ajuste de mesma magnitude” nesta semana. O comitê argumentou que o cenário básico e o balanço de riscos indicam ser apropriado um “ciclo de elevação da taxa de juros para um patamar acima do neutro”. 

O patamar neutro da Selic, que não estimula nem restringe a atividade econômica, é considerado algo em torno de 6,5% pelo mercado. Adotar um patamar acima do neutro tem como objetivo diminuir o ritmo de crescimento da economia, enquanto ficar abaixo do patamar neutro é uma forma de estimular o aquecimento da economia. 

A mudança no tom é vista como necessária para conter a inflação, que segue crescendo. O índice oficial de inflação do país, medido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acumula altas de 5,67% entre janeiro e agosto e de 9,68% nos últimos 12 meses terminados em agosto.  

Depois da divulgação do IPCA de agosto, o mercado passou a projetar uma alta maior do que um ponto percentual na Selic, algo entre 1,25 e 1,50. Mas fala do presidente do BC, Roberto Campos Neto, na semana passada, voltou a colocar as expectativas em torno de um ponto percentual. Ele disse que não mudaria o plano da política monetária.

“Vamos levar a Selic aonde precisar, mas não vamos reagir sempre a dados de alta frequência”, disse Campos Neto, durante participação no evento MacroDay 2021, do BTG Pactual. 

A expectativa é de novas altas na Selic até o fim do ano. O mercado já avalia que a taxa básica de juros pode terminar 2021 em 8,25%, de acordo com o último Boletim Focus. No começo do ano, a previsão era de que estaria em 3% no fim deste ano. A inflação deve fechar o ano a 8,35%, bem acima da meta do BC, de 3,75%.  

No comunicado, o Copom afirma que, "no atual estágio do ciclo de elevação de juros, esse ritmo de ajuste é o mais adequado para garantir a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante e, simultaneamente, permitir que o Comitê obtenha mais informações sobre o estado da economia e o grau de persistência dos choques".

"Neste momento, o cenário básico e o balanço de riscos do Copom indicam ser apropriado que o ciclo de aperto monetário avance no território contracionista", diz o comitê, antecipando que, para a próxima reunião, "antevê outro ajuste da mesma magnitude".