• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,74 2.05
  • ABCB4 R$ 16,63 0.67
  • ABEV3 R$ 14,16 0.85
  • AERI3 R$ 3,69 3.36
  • AESB3 R$ 10,87 0.28
  • AGRO3 R$ 31,35 0.55
  • ALPA4 R$ 22,08 3.71
  • ALSO3 R$ 19,02 0.11
  • ALUP11 R$ 26,75 -1.18
  • AMAR3 R$ 2,65 4.33
  • AMBP3 R$ 32,38 4.15
  • AMER3 R$ 22,17 1.28
  • AMZO34 R$ 3,45 5.70
  • ANIM3 R$ 5,64 3.11
  • ARZZ3 R$ 81,50 2.57
  • ASAI3 R$ 15,95 1.46
  • AZUL4 R$ 21,17 5.48
  • B3SA3 R$ 12,21 2.52
  • BBAS3 R$ 37,64 0.19
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,74 2.05
  • ABCB4 R$ 16,63 0.67
  • ABEV3 R$ 14,16 0.85
  • AERI3 R$ 3,69 3.36
  • AESB3 R$ 10,87 0.28
  • AGRO3 R$ 31,35 0.55
  • ALPA4 R$ 22,08 3.71
  • ALSO3 R$ 19,02 0.11
  • ALUP11 R$ 26,75 -1.18
  • AMAR3 R$ 2,65 4.33
  • AMBP3 R$ 32,38 4.15
  • AMER3 R$ 22,17 1.28
  • AMZO34 R$ 3,45 5.70
  • ANIM3 R$ 5,64 3.11
  • ARZZ3 R$ 81,50 2.57
  • ASAI3 R$ 15,95 1.46
  • AZUL4 R$ 21,17 5.48
  • B3SA3 R$ 12,21 2.52
  • BBAS3 R$ 37,64 0.19
Abra sua conta no BTG

Uma foto do passado: Hubble encontra estrela mais distante já vista

Localizada a 12,9 bilhões de anos-luz da Terra, a estrela nomeada de Earendel pode ajudar a entender as origens do Universo
 (Reprodução/Nasa)
(Reprodução/Nasa)
Por Da redaçãoPublicado em 30/03/2022 16:26 | Última atualização em 31/03/2022 11:45Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Nasa divulgou nesta quarta-feira, 30, um novo recorde de observação espacial mais distante, ao localizar a estrela Earendel (“estrela da manhã”, no inglês arcaico) a 12,9 bilhões de anos-luz da Terra, registrando em foto uma cena de quando o universo tinha cerca de 4 bilhões de anos, ou 30% de sua idade atual.

“Quase não acreditamos no começo, ela estava muito mais longe do que a estrela anterior (Icarus, cuja luz levou 9 bilhões de anos para chegar à Terra) mais distante e com maior desvio para o vermelho”, disse o astrônomo Brian Welch, da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, principal autor do artigo.

O achado foi feito com base em dados coletados durante o programa RELICS (Reionization Lensing Cluster Survey) do Hubble.

Segundo os cientistas, a estrela existiu há tanto tempo que pode não ter as mesmas matérias-primas que as estrelas de hoje em dia.

“Estudar a Earendel será uma janela para uma era do Universo com a qual não estamos familiarizados, mas que levou a tudo o que sabemos. É como se estivéssemos lendo um livro bastante interessante, mas começamos com o segundo capítulo e agora teremos a chance de ver como tudo começou”, disse Welch.

Segundo a Nasa, a expectativa agora é que o astro seja observado pelo telescópio espacial James Webb e que a alta sensibilidade do instrumento permita observações mais detalhadas da Eearendel.