Sonda chinesa envia foto inédita da Lua alinhada com a Terra

A foto capturada pela sonda chinesa foi tirada em ponto no espaço que fica a 1,5 milhão de quilômetros de distância da Terra na direção do Sol

Mesmo após sua volta à Terra em dezembro, a sonda chinesa Chang'e5 continua oferecendo informações surpreendentes sobre a Lua.

A Chang'e5 é a maior espaçonave já enviada pela China, com quatro módulos e mais de oito toneladas. Sua missão também foi histórica: a sonda chinesa trouxe 2 quilogramas de material lunar para a Terra, a primeira vez que isso acontece em 44 anos a última foi em 1976, em uma missão espacial da União Soviética.

Depois da entrega das amostras, a Chang'e5 se dirigiu a um ponto no espaço que fica a 1,5 milhão de quilômetros de distância da Terra na direção do Sol, conhecido como Lagrange Sol-Terra. Os Pontos de Lagrange são pontos que ficam próximos de um sistema orbital de dois corpos massivos. Suas órbitas são gravitacionalmente equilibradas, porque as forças gravitacionais das massas cancelam a aceleração centrípeta.

Lá, a Chang'e5 conseguiu capturar uma imagem única da Terra e da Lua juntas e perfeitamente alinhadas:

Imagem capturada pela sonda chinesa Chang'e5 do ponto Lagrange Sol-Terra Imagem capturada pela sonda chinesa Chang'e5 do ponto Lagrange Sol-Terra

Imagem capturada pela sonda chinesa Chang'e5 do ponto Lagrange Sol-Terra (CNSA/Reprodução)

As atividades da sonda chinesa após deixar o material lunar na Terra são consideradas como um "trabalho bônus" de uma missão de sucesso. Por conta disso, a foto da Chang'e5 acaba não tendo uma qualidade ideal, já que não foi projetada para observações detalhadas do espaço profundo.

Agora, a espaçonave chinesa está realizando testes relacionados ao controle da órbita e outras observações da Terra e do Sol que podem ajudar futuras missões.

China investe em exploração espacial

A sonda Chang'e5 faz parte de uma missão maior da China, que é se tornar um dos líderes mundiais na exploração espacial. O país já investiu bilhões de dólares em seu programa espacial para tentar recuperar o atraso em relação à Europa, Rússia e Estados Unidos.

No último sábado (15), o país asiático pousou com sucesso o seu robô Zhurong, controlado remotamente, em Marte. Ele faz parte da sonda espacial Tianwei-1, lançada em julho de 2020 em direção ao planeta vermelho. Os cientistas da missão estão focados em coletar dados e analisar a topografia e a geologia da Utopia Planitia, região onde ocorreu o pouso.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.