• AALR3 R$ 20,06 -0.05
  • AAPL34 R$ 69,68 1.84
  • ABCB4 R$ 16,69 0.18
  • ABEV3 R$ 14,29 0.56
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,94 0.18
  • AGRO3 R$ 31,81 1.18
  • ALPA4 R$ 22,37 0.90
  • ALSO3 R$ 19,59 3.93
  • ALUP11 R$ 26,22 -1.06
  • AMAR3 R$ 2,60 0.39
  • AMBP3 R$ 32,32 -0.09
  • AMER3 R$ 21,82 1.49
  • AMZO34 R$ 3,45 2.07
  • ANIM3 R$ 5,57 0.36
  • ARZZ3 R$ 82,28 1.24
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,15 0.95
  • B3SA3 R$ 12,73 2.58
  • BBAS3 R$ 37,15 -0.83
  • AALR3 R$ 20,06 -0.05
  • AAPL34 R$ 69,68 1.84
  • ABCB4 R$ 16,69 0.18
  • ABEV3 R$ 14,29 0.56
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,94 0.18
  • AGRO3 R$ 31,81 1.18
  • ALPA4 R$ 22,37 0.90
  • ALSO3 R$ 19,59 3.93
  • ALUP11 R$ 26,22 -1.06
  • AMAR3 R$ 2,60 0.39
  • AMBP3 R$ 32,32 -0.09
  • AMER3 R$ 21,82 1.49
  • AMZO34 R$ 3,45 2.07
  • ANIM3 R$ 5,57 0.36
  • ARZZ3 R$ 82,28 1.24
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,15 0.95
  • B3SA3 R$ 12,73 2.58
  • BBAS3 R$ 37,15 -0.83
Abra sua conta no BTG

Moderna tem compras de vacinas recusadas com queda de demanda

A União Africana e a Covax são alguns dos grupos que declinaram das aquisições de imunizantes
Vacinas da Moderna: diminuição dos casos é um dos motivos pelo cancelamento de acordos de compra (Reuters/Brian Snyder/File Photo)
Vacinas da Moderna: diminuição dos casos é um dos motivos pelo cancelamento de acordos de compra (Reuters/Brian Snyder/File Photo)
Por BloombergPublicado em 05/04/2022 14:44 | Última atualização em 05/04/2022 14:52Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por James Paton, da Bloomberg

Dois grupos que adquirem vacinas contra covid para países de baixa e média renda recusaram opções de compra de centenas de milhões de doses adicionais da Moderna, um sinal de diminuição da demanda à medida que a pandemia diminui.

A União Africana e a Covax, grupo apoiado pela Organização Mundial de Saúde, decidiram não obter mais da vacina enquanto os países em desenvolvimento se esforçam para utilizar seus estoques nas campanhas de vacinação. Países de baixa renda deixados para trás no lançamento global agora estão enfrentando falta de fundos, hesitação, obstáculos na cadeia de suprimentos e outros fatores que dificultam a distribuição.

Durante meses, a vacina de RNA mensageiro altamente eficaz da Moderna estava fora do alcance de grande parte do mundo, e a empresa enfrentou pressão para expandir o acesso. Agora a situação mudou, mesmo com as autoridades de saúde pressionando para aumentar as taxas de vacinação em meio ao risco de novas variantes. Os investidores reagiram à mudança, empurrando as ações da Moderna para queda de mais 5% antes do fechamento em Nova York.

“O cenário das vacinas mudou drasticamente nos últimos meses”, disse Safura Abdool Karim, advogada e pesquisadora de saúde pública em Joanesburgo. “Passamos de realmente precisar de vacinas com urgência para agora tê-las.”

A União Africana concordou em comprar 50 milhões de doses para entrega no primeiro trimestre, mas o bloco de 55 estados membros optou por não adquirir outras 60 milhões de doses no segundo trimestre, disse um porta-voz da Moderna.

A Covax, por sua vez, recusou duas opções de compra, uma de 166 milhões de doses no terceiro trimestre e uma segunda de 166 milhões de doses no quarto trimestre, disse a Moderna. A Covax continua em negociações com a Moderna, de acordo com um porta-voz de um de seus principais parceiros, a Gavi.

Vida útil curta

Os grupos decidiram não garantir as doses apesar da baixa taxa de imunização da África. Apenas 15% da população do continente está totalmente vacinada, em comparação com uma média global de 57%, segundo dados da OMS. Cerca de 400 milhões das mais de 700 milhões de doses que a África recebeu foram administradas.

O entusiasmo se transformou em hesitação em alguns países africanos após meses de atrasos, segundo Edward Kelley, ex-diretor de serviços de saúde da OMS. As vacinas doadas que chegam com pouca antecedência e prazos de validade curtos tornaram isso ainda mais difícil. O problema destaca como o esforço global falhou em resolver satisfatoriamente o desafio de entrega, disse ele.

“O foco era quase exclusivamente em vacinas, e não em vacinação”, disse Kelley, que agora é líder global de saúde na ApiJect Systems, uma empresa de tecnologia médica.

Com a queda de novos casos de covid, muitos países africanos estão reduzindo as medidas de vigilância e quarentena. A OMS está pedindo cautela, instando os países a não perderem de vista os riscos das variantes e pressionando para expandirem a imunização.