Coágulo sanguíneo é listado como efeito raro da vacina da AstraZeneca

O alerta surgiu após uma investigação de 86 casos relatados em pessoas vacinadas, dos quais 18 foram fatais

Coágulos sanguíneos raros, mas que são potencialmente fatais, devem ser listados como "efeitos colaterais" da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca, informou a agência reguladora de medicamentos da Europa nesta quarta-feira (7), dizendo que levou em consideração todos os indícios disponíveis.

"Uma explicação plausível para a combinação de coágulos sanguíneos e plaquetas de sangue baixas é uma reação imunológica, o que causa um problema semelhante àquele visto às vezes em pacientes tratados com heparina", disse a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

As conclusões são um grande obstáculo para a luta global contra a pandemia e uma mudança de postura da agência, que na semana passada apoiou a vacina e disse não existir um risco maior de coágulos sanguíneos em geral em decorrência de seu uso.

Elas também são um revés para a AstraZeneca, que foi uma pioneira na corrida para a criação de uma vacina contra Covid-19 eficaz desde que começou a trabalhar com a Universidade de Oxford.

O comitê de segurança da EMA, que estava avaliando a vacina, pediu mais estudos e mudanças nos atuais para obter mais informações.

Com Reuters.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.