Casual
Acompanhe:

São Paulo oferece R$ 11 mi para tirar Ganso do Santos

O Santos já afirmou publicamente que não pretende se desfazer do atleta por um valor menor que os R$ 23,8 milhões estipulados no contrato

Paulo Henrique Chagas de Lima: "Ganso" treina antes de viajar para Londres (Vanderlei Almeida/AFP)

Paulo Henrique Chagas de Lima: "Ganso" treina antes de viajar para Londres (Vanderlei Almeida/AFP)

F
Fernando Faro

21 de agosto de 2012, 23h36

São Paulo - O São Paulo confirmou que entregou para o Santos nesta terça uma proposta oficial para adquirir 45% dos direitos econômicos do meia Paulo Henrique Ganso. O presidente Juvenal Juvêncio se reuniu com o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes e o vice Adalberto Baptista e os três formularam uma oferta inicial de R$ 11 milhões.

"É um jogador que interessa ao São Paulo, vocês já sabiam disso pelas próprias declarações do presidente (do Santos) Luis Alvaro. Formalizamos uma proposta escrita conforme ele havia pedido e vamos aguardar uma resposta. Vamos ver, estou otimista", afirmou Adalberto.

O Santos já afirmou publicamente que não pretende se desfazer do atleta por um valor menor que os R$ 23,8 milhões estipulados no contrato (a multa de Ganso para clubes brasileiros é de R$ 53 milhões) e deve rapidamente recusar a proposta, mas o intuito do São Paulo é sondar o terreno para avaliar a receptividade do clube com a possibilidade de negociação. Antes absolutamente contrário a perder o meia, o Santos já aceita negociá-lo desde que receba o que está estipulado.

Em um primeiro momento nenhum jogador foi incluído na negociação, embora a diretoria cogite uma nova investida agregando atletas para seduzir o rival a aceitar uma pedida menor. Mesmo com os cofres cheios após a venda de Lucas ao PSG por R$ 108 milhões, o São Paulo não quer gastar grandes quantias.

As conversas devem evoluir nos próximos dias já que Luis Alvaro está acompanhando a delegação santista no Chile para a disputa do primeiro jogo da Recopa Sul-Americana contra a Universidad do Chile.