Casual

Maior Salão do Automóvel da China mostra que o futuro é elétrico — e marcas locais dominam

País asiático aposta pesado em carros elétricos para o futuro da mobilidade e exporta modelo para o mundo

O elétrico Evija durante o Salão do Automóvel em Beijing. (	Bloomberg /Getty Images)

O elétrico Evija durante o Salão do Automóvel em Beijing. ( Bloomberg /Getty Images)

Publicado em 25 de abril de 2024 às 09h52.

Última atualização em 25 de abril de 2024 às 09h52.

Montadoras e startups de todo o mundo revelaram novos modelos e conceitos no maior salão de automóveis da China nesta quinta-feira, 25. O foco foi em veículos elétricos e híbridos e em carros com inteligência artificial.

Nomes como Toyota e Nissan anunciaram laços com grandes empresas de tecnologia chinesas para tentar atender à demanda por veículos cada vez mais conectados e autônomos.

Em 2023, carros elétricos representaram cerca de um quarto das vendas de automóveis na China. Em segundo lugar, ficaram os híbridos.

'Nenhuma outra região do mundo tem uma transformação da indústria automotiva de ritmo tão veloz quanto na China', declarou o CEO da Volkswagen, Oliver Blume, na quarta-feira para a Associated Press.

Em janeiro, Elon Musk, bilionário sul-africano e proprietário da Tesla, disse que as montadoras chinesas do setor são as 'empresas automobilísticas mais competitivas do mundo',

A maior montadora de elétricos da China, a BYD, apresentou na exposição dois carros que funcionam à base de eletricidade ou ainda como híbridos.

A empresa está construindo uma fábrica no Brasil onde antes ficava uma planta da Ford. A companhia representou 41% das vendas de elétricos no país nos primeiros três meses do ano.

A GWM, outra gigante montadora chinesa que também está presente no Brasil, apresentou diversas novas tecnologias, como carros híbridos com motor que combina um elétrico outro movido a hidrogênio. Nos planos da empresa, em 2025 começarão testes para avaliar a implementação em larga escala em território brasileiro.

Assim, os carros elétricos e híbridos se expandem pela Ásia e pelo mundo, conquistando novos mercados e consumidores por todo o planeta. No Brasil, a situação não é diferente, à medida que montadoras de automóveis elétricos lançam carros mais sustentáveis que servem de alternativa a modelos mais tradicionais.

Com informações da AP.

Acompanhe tudo sobre:Carros autônomosCarros elétricosCarros híbridosChinaBYD

Mais de Casual

Por que passeios turísticos em português são tão importantes para a Civitatis

Dia Internacional do Hambúrguer: 8 restaurantes para aproveitar a data em São Paulo

The Macallan fará experiência de 660 mil reais em hotel na Escócia

Como a chinesa GWM quer dominar o concorrido mercado de SUVs no Brasil

Mais na Exame