Inteligência Artificial

Para competir com Tesla, Huawei cria negócio de software para carros autônomos

A gigante tecnológica chinesa introduz a marca Qiankun na véspera do Salão do Automóvel de Pequim, com olhos sobre o setor de veículos elétricos com sistemas de direção autônoma

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 24 de abril de 2024 às 11h57.

Última atualização em 24 de abril de 2024 às 13h30.

Tudo sobreInteligência artificial
Saiba mais

A Huawei anunciou nesta quarta-feira, 24, a criação da Qiankun, uma nova marca de software destinada à direção inteligente, durante um evento que antecedeu o Salão do Automóvel de Pequim.

O nome de significado bem chinês, simboliza "a união do céu com as montanhas Kunlun", refletindo a amplitude e a força da nova aposta da empresa no setor automotivo elétrico.

Jin Yuzhi, CEO da unidade de Soluções Automotivas Inteligentes da Huawei, explicou que a Qiankun oferecerá sistemas de condução autônoma, abrangendo desde o chassi do veículo até sistemas de áudio e assentos do motorista.

Segundo Jin, espera-se que, até o final de 2024, mais de 500 mil veículos estejam nas estradas equipados com o sistema de direção autônoma da Huawei.

O executivo também projetou que, dentro de um ano, mais de dez modelos de carros com o sistema Qiankun da Huawei chegarão ao mercado.

A Huawei, sediada em Shenzhen, estabeleceu sua unidade de carros inteligentes em 2019, visando se posicionar como um fornecedor chave de software e componentes na era dos veículos elétricos inteligentes, à semelhança da Bosch alemã.

Em novembro, a empresa anunciou que sua unidade seria transformada em uma nova companhia, que herdaría as principais tecnologias e recursos da Huawei e receberia investimentos de parceiros como a montadora Changan Auto.

A empresa também revelou sete modelos de veículos elétricos desenvolvidos em parceria com montadoras chinesas, todos com boas vendas, de acordo com Jin.

Os modelos incluem três sob a marca Aito, em parceria com a Seres, o sedã Luxeed S7, co-desenvolvido com a Chery, dois modelos com a Avatr, apoiada pela Changan Auto, e um com o grupo BAIC, dono da marca Arcfox. Na terça-feira, a Huawei apresentou também o sedã S9, primeiro modelo sob a nova marca premium Stelato, lançada em parceria com a BAIC.

A diversificação da Huawei para o mercado de veículos elétricos ocorre em um momento de intensa competição e guerra de preços no maior mercado automotivo do mundo, que enfrenta uma desaceleração nas vendas e preocupações crescentes com a sobreprodução, com mais de 40 marcas disputando a atenção dos consumidores.

No início deste mês, a Aito, apoiada pela Huawei, ofereceu descontos de até 20.000 yuans (aproximadamente US$ 2.760) em seus novos SUVs M7 até o final de abril.

Acompanhe tudo sobre:HuaweiCarros autônomos

Mais de Inteligência Artificial

Ilya Sutskever, cofundador da OpenAI (ChatGPT), anuncia saída da empresa

Google anuncia ferramentas de criação para vídeos, imagens e música

Tudo com IA: a nova busca do Google muda a forma como usamos a internet

CRMBonus recebe aporte de R$ 400 milhões, e dobra valor de mercado para R$ 2,2 bilhões

Mais na Exame