Lewis Hamilton anuncia equipe no Extreme E

Atual hexacampeão da F1 anunciou a fundação da X44, equipe que participará do Extreme E em 2021

O lado ativista de Lewis Hamilton ganhou mais um capítulo hoje. O piloto terá participação no Extreme E, torneio off-road 100% elétrico. O inglês fundou a X44, equipe que estreia na categoria no ano que vem com o próprio piloto a bordo em um dos carros. A competição será realizada em cinco locais de ecossistemas frágeis e que sofreram mudanças climáticas nos últimos anos, como Senegal, Groenlândia, Nepal, Arábia Saudita e Brasil, na Floresta Amazônica no Pará.

O objetivo do torneio é buscar a conscientização da população sobre os impactos ambientais através do esporte. “Sinto-me incrivelmente orgulhoso de anunciar minha nova equipe e confirmar nossa entrada no Extreme E. Ter meu próprio time é um desafio totalmente novo, mas me sinto muito animado. A competição me atraiu por conta de seu foco ambiental”, diz Hamilton, que ainda não anunciou quem serão os pilotos de seu time em 2021 – a expectativa, claro, é de que o inglês possa ao menos acelerar em uma das etapas.

“Cada um de nós tem o poder de fazer a diferença, e isso significa muito para mim. Posso usar meu amor pela velocidade, juntamente com o meu amor pelo nosso planeta, para oferecer um impacto positivo”, completou o atual hexacampeão da F1.

Em entrevista exclusiva a Exame Casual na véspera do GP Brasil 2019, o piloto da Mercedes já mostrava sua preocupação com seu legado fora das pistas, mostrando cada vez mais forte seu lado “ativista” - ainda mais evidenciado em 2020 com o movimento “Black Lives Matter”.

“Como idealizador da X44, estou ansioso para construir minha equipe em torno de valores importantes, como sustentabilidade, igualdade e diversidade. Nenhum de nós é perfeito e todos temos melhorias a fazer. Estou empolgado em usar nossa plataforma para destacar os problemas mais sérios que nosso planeta enfrenta e as soluções das quais todos podemos fazer parte”, disse Hamilton.

O time X44 se junta a outras equipes tradicionais do automobilismo, como Chip Ganassi Racing e Andretti United, ambos dos EUA, ABT e HWA da Alemanha, a espanhola QEV Technologies, Techeetah da Indonésia e a empresa britânica, Veloce Racing.

O Brasil por enquanto não tem equipe, mas tem o ex-piloto Gil de Ferran como um dos idealizadores e com a CBMM, empresa brasileira referência mundial em produtos com nióbio e grafeno, como parceira fundadora. O Extreme E também apoia no Brasil a The Nature Conservancy para proteger 100 hectares de floresta existente, restaurar 100 hectares de floresta nativa e manter mais de 200 hectares de um programa agroflorestal à base de cacau que apoiará aproximadamente 50 pequenos agricultores locais.

O Extreme E tem início marcado para os dias 23 e 24 de janeiro, no Senegal. A temporada, inclusive, será encerrada no Brasil em outubro de 2021, em Santarém, no Pará.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.