iPhone 12 Pro: por que é o smartphone ideal para as férias de verão

Câmeras com mais luminosidade, estabilidade, zoom. Testamos as funções de foto e vídeo do novo celular da Apple, que chega às lojas nesta sexta-feira

Faz tempo que um celular não é só um celular. Smartphones viraram na prática um computador pessoal de bolso, com toda a vida do usuário embarcada. Uma proeza dos telefones portáteis foi aposentar as câmeras de fotografia para uso amador – e eventualmente até para uso profissional.

O mundo segue mudando. Siga em evolução com a EXAME Academy

Os novos iPhone 12 vêm pela segunda vez com uma versão chamada Pro. Segundo a Apple, foi só com o iPhone 11, lançado no ano passado, que a empresa se sentiu confiante para classificar seu uso como profissional para quem trabalha com imagens. Por isso o Pro no nome.

As quatro versões do novo iPhone – Mini, Pro, Pro Max e a versão tradicional – chegam às lojas brasileiras na sexta-feira. A Casual EXAME testou ontem as funções de foto e vídeo das três câmeras traseiras do iPhone 12 Pro.

A evolução em relação ao modelo anterior é grande. Ficou mais fácil tirar fotos com grande contraste de luz, como em dias muito ensolarados, ou noites com pouco luz.

A ideia da Apple é sempre tornar o processo de fotografia mais simples, rápido e intuitivo. E de amplo uso. As três câmeras do iPhone 12 Pro e Pro Max, relembrando, são uma grande angular, uma teleobjetiva e uma ultra angular de 120 graus, capaz de abraçar uma cena em um tamanho quatro vezes maior.

Essa ultra angular, ótima para uso de arquitetura, por exemplo, agora captura mais luz, tanto em ambientes internos e externos. Na versão anterior, a falta de luz era observada principalmente nas margens do ambiente fotografado. O contraste diminuiu bastante agora. Isso se deve à mudança de abertura, que passou de f/1.8 para f/1.6 – quanto menor o número, mais clara é a lente.

Foto de iPhone 12 Foto de iPhone 12: sombra e pés bem definidos

Foto de iPhone 12: sombra e pés bem definidos (Apple/Divulgação)

Sobre luminosidade ainda, o iPhone 11 trouxe como novidade o modo noite. Como funciona? O recurso é ativado automaticamente quando a câmera detecta pouca luz no ambiente. O ícone amarelo aparece então na parte superior da tela. Dependendo da escuridão, a foto pode se rápida ou levar alguns segundos. O tempo necessário aparece na parte de baixo da tela.

O que mudou agora? Antes o recurso só estava disponível na lente grande angular. Agora, está em todas lentes – inclusive na frontal, para selfies. Bom para fotos na praia apenas com a luz do luar.

De acordo com a Apple, a melhora no desempenho de fotos dos novos modelos é de 27% em relação aos anteriores. Isso se traduz em fotos com menos imperfeições e tremidos, além de visualização melhor dos detalhes, mesmo com luz fraca. A abertura maior também muda a profundidade de campo. É aquele efeito do foco e um objeto na frente e um desfocado mais na cena atrás. Pura arte.

Junto com as três câmeras na parte traseira agora há também uma pequena bolinha. Trata-se de um sensor chamado LiDAR, que permite medir com maior precisão a distância dos objetos, melhorando a precisão das fotos. Esse sensor também permite aumentar em seis vezes a velocidade do foco automático.

Na função vídeo a diferença também é notável. A função time lapse, que passa as imagens em modo acelerado, agora funciona no modo noite. Na demonstração de ontem, um vídeo de ondas na praia foi usado como demonstração. Outros exemplos: a lua se pondo ou o sol nascendo. É preciso apenas deixar o telefone bem posicionado, com firmeza, no tempo de gravação.

Uma inovação em vídeo é o formato dolby vision, uma métrica de conteúdo apresentada em aparelhos de TV. Isso indica correções em saturação, cor, contrastes, algo que geralmente exige um trabalho de pós-edição. Na gravação de vídeo em HDR agora são registrados até 60 quadros por segundo, e não mais 30. Sabe aquele vídeo do seu filho correndo na praia? Agora as imagens ganharão nitidez.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.