Casual

Guia Michelin: os 12 restaurantes com gastronomia de qualidade a um bom preço

Neste ano foram incluídos 12 restaurantes na lista, que conta com 37 casas

O chef Rodrigo de Oliveira, do Mocotó. (Ricardo D'Angelo/Divulgação)

O chef Rodrigo de Oliveira, do Mocotó. (Ricardo D'Angelo/Divulgação)

Júlia Storch
Júlia Storch

Repórter de Casual

Publicado em 21 de maio de 2024 às 14h01.

Além de premiar os restaurantes com estrelas, o Guia Michelin também elege casas na categoria Bib Gourmand. Ou seja, casas com gastronomia de qualidade a um bom preço. Neste ano foram incluídos 12 restaurantes na lista, que conta com 37 casas.

Entre os novos estabelecimentos premiados, dois estão localizados no Rio de Janeiro: Brota e Sult.

Já os outros dez estão em São Paulo: A Baianeira – MASP, Capim Santo, Cora, Cuia, Feriae, Kotori, Mocotó Vila Leopoldina, Nomo, Più Higienópolis e Shihoma Pasta Fresca.

Confira os 12 novos restaurantes.

Brota (Rio de Janeiro)

Além da decoração, do casarão em Botafogo, o Guia Michelin destaca alguns pratos vegetarianos e veganos elaborados pela chef Roberta Ciasca. No menu, pratos como brotinhas recheadas com tomate, pesto e azeitonas ou wasabi com chutney de manga, na seção de sobremesas, a compota de goiaba, espuma de queijo canastra, acompanhada de crocante de mascavo e castanha é um dos destaques.

Serviço: Rua Conde de Irajá, 98, Rio de Janeiro.

Sult (Rio de Janeiro)

Sult

Sult (Sult/Divulgação)

Não há grandes formalidades no restaurante comandado por Nelson Soares: o salão é minimalista e dá destaque à cozinha – bem visível ao público. E essa disposição não parece coincidência, porque a interação com os clientes parece parte da filosofia, com direito a receitas com toques regionais, a exemplo do pirarucu com risoto de tucupi e jambu com castanha do Pará ralada (88 reais). O fettuccine com sururus custa 68 reais e a fregola com polvo e tutano sai a 82 reais.

Serviço: Rua Fernandes Guimarães, 77, Botafogo, Rio de Janeiro. De terça-feira a sábado das 12h às 23h. Domingo das 12h às 17h.

A Baianeira - MASP (São Paulo)

Não existem grandes novidades no cardápio d’A Baianeira. E isso é ótimo – principalmente porque a proposta de Manuelle Ferraz é representar a “cozinha popular brasileira”. É verdade também que as duas unidades do restaurante têm personalidades praticamente opostas: na Barra Funda, o sobrado tem estilo descontraído, com mesas na rua e uma vendinha, enquanto o MASP recebe a versão mais moderninha. Mas não há dúvida em relação às maravilhas da cozinha, que incluem desde petisco de pão de queijo com carne de panela e ovo caipira até prato feito de feijoada.

Serviço: Rua Dona Elisa, 117, Barra Funda, São Paulo. Avenida Paulista, 1578, Bela Vista, São Paulo

Capim Santo (São Paulo)

Capim Santo: Peixe com Iogurte. (Mário Rodrigues/Divulgação)

Cravado no Solar Fabio Prado (antigo Museu da Casa Brasileira), na avenida Faria Lima, a renomada chef Morena Leite, apresenta uma culinária familiar com produtos típicos brasileiros como o peixe com iogurte.

Serviço: Av. Brg. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano, São Paulo

Cora (São Paulo)

Ambiente do restaurante Cora, no centro de São Paulo. (Pedro Ferrarezi/Divulgação)

Fica na cobertura de um prédio retrofitado localizado numa área do centro paulistano que já viu dias melhores. Ao ar livre, o restaurante do chef argentino Pablo Inca aposta muitas fichas na grelha para preparar pratos memoráveis. Para enganar o estômago, peça o peixe cru acrescido de caju, limão e pimenta (46 reais) ou a abobrinha com queijo tulha e cacau (38 reais). Outra boa pedida para aquecer os motores: mussarela fresca com figos e tomates crocantes (54 reais). O peixe assado com purê de cenoura (75 reais) é um dos pontos altos.

Serviço: Rua Amaral Gurgel, 344 (6º andar), Centro, São Paulo. De terça a quinta-feira das 19h às 23h. Sexta-feira das 12h às 15h e das 19h às 23h. Sábado das 12h às 16h e das 19h às 23h. Domingo das 12h às 17h.

Cuia (São Paulo)

Cuia: curau, sorbet de goiaba e telha de pipoca com amendoim. (Laís Acsa/Divulgação)

Não bastasse a localização privilegiada em pleno Copan, famoso cartão-postal paulistano projetado por Oscar Niemeyer, o Cuia é daqueles estabelecimentos que parecem receber todos com os braços abertos – inclusive uma livraria, com a qual divide parte do espaço. Só que parte desse acolhimento é mérito do cardápio criado por Bel Coelho, que traz desde o tostex de pão de fermentação natural, queijo da Canastra e geleia de jabuticaba até o arroz de sururu com maxixe e maionese de licuri. Na coquetelaria, destaque para o Soneto ao Caju, com gin e cajuína.

Serviço: Avenida Ipiranga, 200, loja 48, República, São Paulo

Feriae (São Paulo)

Baseada em uma cozinha sazonal e com aproveitamento total dos alimentos vindos, em sua maior parte, diretamente de pequenos produtores locais orgânicos, a casa tem como objetivo provar que é possível unir consumo consciente, sustentabilidade e sabor, sem abrir mão do prazer de se reunir ao redor da mesa. Afinal, todo dia é uma ocasião especial para celebrar. Ou, do latim, para Feriae.

“Não queremos converter as pessoas, mas mostrar que é possível comer bem gerando menos impacto no mundo para as futuras gerações”, pontua Bresser, que muito antes de trabalhar no mercado financeiro (atividade já deixada para trás) pensava em abrir um restaurante. “É sonho de criança”, conta ele. Mesma vocação de Panezo, que, filho de médicos, chegou a cursar ciências políticas antes de abraçar a gastronomia e trabalhar em restaurantes premiados como Mayta e Astrid & Gaston, no Peru.

Entre as opções de pratos para degustar estão o palmito assado com purê de castanhas e farofa; o feijão rajado com salada de tomates fritos; o pato à passarinho eas almôndegas de porco no caldo thai. Alinhado à filosofia da casa, o restaurante não trabalha com carne bovina ou de cordeiro, nem com salmão, atum, camarão ou polvo, ingredientes cuja produção ou captura sabidamente causam maior impacto ao meio ambiente.

Serviço: R. Padre Carvalho 171, Pinheiros

Kotori (São Paulo)

Seguindo o conceito de Izakaya -- os famosos bares japoneses --, o cardápio tem boa parte dedicada a um ingrediente: o frango. A casa é outro empreendimento do chef Thiago Bañares, dono do Tan Tan, o primeiro nesta lista. Do menu não deixe de provar o espetinho grelhado na brasa de sobrecoxa com umê shissô. Nos drinques, há coquetéis clássicos, e os autorais, como o tiki tok que leva abacaxi com especiarias, taiti e tequila reposado.

Serviço: Rua Cônego Eugênio Leite, 639, Pinheiros, São Paulo. Funcionamento: de terça a sexta das 19h às 23h30; sábado das 12h às 16h, e das 19h às 23h30; domingo das 12h às 17h; fechado no último domingo do mês.

Mocotó Vila Leopoldina (São Paulo)

O tradicional Mocotó dispensa apresentações e, há mais de 22 anos, atrai a clientela até o bairro da Vila Medeiros, na zona norte paulistana – quase na vizinha Guarulhos (SP). No ano passado a casa inaugurou uma nova unidade, na Vila Leopoldina. O chef Rodrigo Oliveira, filho de pernambucanos (que se divide entre o trabalho na cozinha, as peças publicitárias e o sítio no qual produz alguns dos produtos utilizados nas receitas) é o responsável por receitas como baião-de-dois às especialidades, como carne-seca desfiada com cebola roxa e finalizada com manteiga de garrafa.

Serviço: Avenida Nossa Senhora do Loreto, 1100, Vila Medeiros, São Paulo. R. Aroaba, 333 - Vila Leopoldina, São Paulo

Nomo (São Paulo)

Restaurante intimista, moderno e acolhedor, com cozinha aberta para o salão, gastronomia contemporânea descomplicada e que explora o mundo dos botânicos e das proteínas com pratos para compartilhar e opções para todos os paladares. Sócia proprietária e idealizadora do projeto, a restaurateur Patrícia Werneck, responde pelo salão e curadoria de vinhos e cafés especiais da casa. O cardápio, assinado pelo chef Nando Carneiro é enxuto sempre conta com ingredientes sazonais.

Serviço: Rua Harmonia, 815, Sumarezinho. Horário de Funcionamento: quarta e quinta das 19h às 23h. Sexta e sábados das 12h às 16h e das 19h às 23h. Reservas: (31) 991216648.

Più Higienópolis (São Paulo)

Segundo o Guia Michelin, o restaurante Più se destaca como um dos pioneiros da culinária italiana na região da Grande São Paulo. Sob a liderança do chef Marcelo Laskani, a proposta da casa é uma cozinha italiana autoral, que utiliza produtos brasileiros de qualidade.

No menu, os destaques ficam para pratos como o Carpaccio de atum com água de tomate fresco, vinagre de framboesa e burrata e o Ossobuco braseado, cozido lentamente por 12 horas e servido com aligot de mandioca com queijos.

Serviço: Shopping Pátio Higienópolis - Piso Higienópolis. Av. Higienópolis, 618 - Higienópolis, São Paulo - SP. Telefone: (11) 99904-0680

Shihoma Pasta Fresca (São Paulo)

Shihoma

Shihoma (Shihoma/Divulgação)

Tudo começou com o delivery. E deu tão certo que Marcio Shihomatsu decidiu abrir um restaurante há menos de um ano, quando o setor ainda sofria com efeitos da pandemia. Não é surpresa que, por lá, tudo gire em torno das massas artesanais – até porque, pela origem, esse ainda é um pastifício –, mas existe espaço para experimentações no cardápio. É o caso dos tortelli recheados com bochecha de boi com redução do próprio cozimento ou então o spaghetti com manteiga, anchovas e pistache, que recebe a técnica japonesa tamomi para ganhar aspecto parecido ao lámen.

Serviço: Rua Medeiros de Albuquerque, 431, Vila Madalena, São Paulo

Acompanhe tudo sobre:MichelinGastronomiaRestaurantesChefs

Mais de Casual

Antonio Forjaz, da Sportingbet, mostra a rotina multiesportiva de um executivo

O Brasil é apaixonado por picapes, e o CEO da Ford América do Sul sabe o motivo

A melhor mesa de restaurante do Rio de Janeiro fica no Copacabana Palace

Por que Santa Catarina concentra metade da produção de barcos de lazer do país?

Mais na Exame