Douglas Souza se aposenta da seleção de vôlei pela saúde mental

Ponteiro, de 26 anos, disse que desde 2016 sua mente e corpo começaram a dar sinais de que precisava diminuir o ritmo. Douglas revelou ainda que tratou de uma depressão
Douglas Silva: atualmente sem contrato, ponteiro pretende seguir jogando por clube (Gaspar Nóbrega/COB/Agência Brasil)
Douglas Silva: atualmente sem contrato, ponteiro pretende seguir jogando por clube (Gaspar Nóbrega/COB/Agência Brasil)
Por Agência BrasilPublicado em 25/03/2022 14:56 | Última atualização em 25/03/2022 15:07Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ponteiro Douglas Souza, de 26 anos, usou o Instagram na noite desta quinta-feira, 24, para anunciar sua aposentadoria da seleção brasileira masculina de vôlei para cuidar da saúde mental. Durante o depoimento, Douglas reconheceu a importância de ter integrado a equipe nacional nos últimos 11 anos.

“Para mim, sempre foi uma honra, um prestígio, um orgulho muito grande estar na seleção. Eu sentia que precisava quebrar barreiras e eu consegui fazer isso muito bem. Só que chegou um ponto, em 2016, que minha mente e meu corpo começaram a dar alguns sinais de que eu precisava dar uma diminuída no ritmo”, disse Douglas.

O atleta ganhou projeção nas redes sociais durante a Olimpíada de Tóquio no ano passado, devido ao intenso engajamento com torcedores: saltou de 250 mil para cerca de 3 milhões de seguidores. Douglas revelou ter tratado de uma depressão e que em 2018 decidiu junto com o empresário encerrar seu ciclo na seleção após os Jogos de Tóquio. A equipe comandada pelo técnico Renal Dal Zotto ficou pela primeira vez fora do pódio desde 2004. A seleção perdeu a disputa pela medalha de bronze e terminou na quarta posição,

“Em pleno 2022, a nossa saúde mental é uma coisa extremamente importante, a coisa que tem de se cuidar, se tratar, dar uma atenção ali. Mas, infelizmente, estando na seleção era muito difícil ter esse tempo”, declarou o ponteiro. "Pela minha saúde mental, eu decidi encerrar meu ciclo na seleção para cuidar de mim, para ficar perto da minha família, de meus amigos. Eu estou muito feliz com a minha decisão”.

O atleta afirmou que seguirá jogando por clube, embora esteja sem contrato no momento, e que sua preferência é por agremiações em São Paulo

“Optei por jogar em São Paulo, mesmo sabendo que os clubes de São Paulo não têm tanto investimento, não têm tanto dinheiro para oferecer para um atleta”, finalizou.