App de relacionamento Grindr reforça privacidade a atletas olímpicos

Aplicativo de relacionamento LGBT ajustou suas configurações de privacidade para proteger os atletas de perseguição
 (Leon Neal / Equipe/Getty Images)
(Leon Neal / Equipe/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 13/02/2022 09:00 | Última atualização em 11/02/2022 17:43Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Grindr, aplicativo de relacionamento voltado à comunidade LGBT, ajustou suas configurações de privacidade para a Vila Olímpica de Pequim, uma medida que foi elaborada para proteger os melhores atletas do mundo de perseguição ou assédio.

Tenha acesso agora a todo material gratuito da EXAME para investimentos, educação e desenvolvimento pessoal.

Pessoas dentro ou perto da Vila Olímpica poderão usar o Grindr para se encontrarem durante os jogos. Em uma mudança em relação às Olimpíadas anteriores, seus perfis não ficarão visíveis em todo o mundo.

“Queremos que o Grindr seja um espaço onde todos os atletas de minorias sexuais ou de gênero, independentemente da nacionalidade, se sintam confiantes em se conectar uns com os outros enquanto estiverem na Vila Olímpica”, disse Jack Harrison-Quintana, diretor do Grindr for Equality, um departamento da empresa.

Normalmente, os usuários do Grindr em todo o mundo podiam usar a função “Explorar” para encontrar participantes das Olimpíadas usando o aplicativo e, durante jogos anteriores, pessoas de fora da Vila Olímpica usaram o recurso para expor atletas nas redes sociais e, em um caso, em um grande meio de comunicação americano.

É a primeira vez que a empresa faz isso para uma Olimpíada, embora o Grindr tenha desativado a função “Explorar” para certos países e regiões onde ser LGBT é ilegal ou considerado arriscado. A China descriminalizou a homossexualidade em 1997, mas há pouca proteção para pessoas LGBTQ ou reconhecimento de comunidades queer.

Durante as Olimpíadas de 2022, os usuários do Grindr dentro e perto da bolha olímpica receberão um alerta na tela que diz: “Sua privacidade é importante para nós. Nosso recurso Explorar foi desativado na Vila Olímpica para que as pessoas fora de sua área imediata não possam navegar aqui.” Ainda é possível encontrar usuários “próximos” ou pesquisar perfis que entraram no aplicativo recentemente.

Em 2020, o proprietário chinês do Grindr, Beijing Kunlun Tech, vendeu o aplicativo para investidores por cerca de US$ 600 milhões, depois que reguladores dos EUA exigiram o venda por motivos de segurança nacional. Na semana passada, o Grindr removeu seu aplicativo da Apple Store na China, citando dificuldades em mantê-lo em conformidade com a Lei de Proteção de Informações Pessoais do país.

Com sede em Los Angeles, o Grindr diz ter mais de 10 milhões de usuários em todo o mundo.