Casual

Após youtuber criticar roupa, Janja é convidada pela Imperatriz para desfilar no Carnaval do Rio

Em vídeo, Antonia Fontenelle disse que a roupa usada pela primeira-dama na posse parecia a da velha-guarda da agremiação: 'Apática, nem fede nem cheira'

A agremiação se pronunciou, nesta segunda-feira, após a fala de Fontenelle, que causou um profundo mal-estar (Bruno Spada/Câmara dos Deputados/Divulgação)

A agremiação se pronunciou, nesta segunda-feira, após a fala de Fontenelle, que causou um profundo mal-estar (Bruno Spada/Câmara dos Deputados/Divulgação)

AO

Agência O Globo

Publicado em 3 de janeiro de 2023 às 16h22.

Última atualização em 3 de janeiro de 2023 às 16h33.

A youtuber Antonia Fontenelle criticou a roupa usada pela primeira-dama Janja Silva na posse do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no último domingo. Numa postagem em suas redes sociais, ela disse que a escolha, um terninho — conjunto de pantalona, colete e blazer — parecia roupa da velha-guarda da Imperatriz Leopoldinense, não poupando críticas à escola de samba também.

"Escola apática, nem fede nem cheira. É a Imperatriz Leopoldinense. Nem é a velha guarda da Mangueira, da Mocidade ou da Grande Rio", disse.

A agremiação se pronunciou, nesta segunda-feira, após a fala de Fontenelle, que causou um profundo mal-estar.

Ao tomar conhecimento da comparação, a presidente da Imperatriz Leopoldinense, Cátia Drumond, enviou ofício para a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) pedindo que Fontenelle não seja credenciada para qualquer finalidade ou função nas apresentações do Rio e convidou a primeira-dama para desfilar no Carnaval.

Este ano a escola tem como enredo “O aperreio do cabra que o excomungado tratou com má-querença e o santíssimo não deu guarida”, do carnavalesco Leandro Vieira, que tem inspiração na figura de Lampião a partir de fábulas da literatura de cordel.

"Após os ataques à primeira-dama do Brasil e à nossa agremiação, convidamos publicamente a querida @janjalula para desfilar como madrinha de nossa galeria da velha-guarda no Carnaval de 2023".

Em nota, a escola também repudiou a fala da youtuber e frisou que os "ataques infundados de quem desconhece a história do Carnaval atingem não somente à agremiação mas, sobretudo, nossa comunidade, torcedores, componentes e, consequentemente, todo o mundo do samba".

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos pra você aproveitar seu tempo livre com qualidade.

A escolha de Janja para a posse de Lula

Na posse do presidente Lula, Janja usou um conjunto de pantalona, colete e blazer estruturado de seda, bordado com fibras naturais, look assinado pela estilista Helô Rocha. Segundo a pesquisadora e analista de moda Paula Acioli, a escolha "reafirma sua vontade de inovar e sua preferência por grifes e temas nacionais”.

Paula chama a atenção também para o fator inovação no modelo. "Ela inova vestindo conjunto de pantalona e blazer, em vez dos tradicionais vestidos formais de primeiras-damas em posses presidenciais. Reafirma a vontade de, através da moda, valorizar o artesanato e a cultura nacional. Os simbolismos do traje parecem estar presentes em muitos elementos: desde a cor escolhida, que remete ao solo de muitas regiões do Nordeste brasileiro, ao contraste dos bordados de palha em tecido nobre como a seda. Uma sugestão de aceno à diversidade e à harmonia."

Para a stylist e consultora de moda Manu Carvalho, Janja entregou o que vem prometendo: a valorização da moda nacional e ser uma primeira-dama ativa.

"Chama a atenção o fato de ela não estar de vestido, como é comum para as primeiras-damas, e sim um terno — calça, colete e paletó —, o que a coloca lado a lado com Lula. Ela mesma já afirmou que seria uma primeira dama ativa", ressalta. "Também achei bacana o terno ser de seda, um material nobre e feminino — e tão ancestral quanto atual, tingido naturalmente."

A beleza da primeira-dama também recebeu elogios de Manu. "O rabo de cavalo no penteado também passa essa ideia de ação e trabalho, mais do que cabelos soltos", comenta. "A maquiagem também está elegante. Todas as suas escolhas foram muito corretas."

Apoio no mundo do samba

Após a polêmica, outras agremiações prestaram apoio à Imperatriz Leopoldinense. No Instagram da Unidos da Tijuca emitiu um comunicado oficial. "Detentora de oito títulos do carnaval carioca, a Imperatriz Leopoldinense é um dos pilares do movimento cultural que move o Rio de Janeiro e todo o mundo. Queríamos deixar nosso apoio e afirmar que estamos juntas na luta por respeito pelo nosso movimento. Contem com a nossa agremiação."

A Unidos de Vila Isabel, pelo Twitter, também prestou apoio. "Toda a solidariedade do Povo do Samba à irmã @oficialgresil"

O carnavalesco Leandro Vieira também se pronunciou em seu perfil pessoal, chamou Janja a participar do desfile e afirmou querer próximo somente "quem sabe da grandeza e respeita" as tradições.

Já a a Estação Primeira de Mangueira pediu respeito ao carnaval.

Também por meio de nota a Portela disse se solidarizar "à escola coirmã e à primeira-dama na certeza de que o preconceito, o racismo e a intolerância não têm lugar no carnaval, bem como em toda sociedade" e classificou os comentários de Fontenelle como "infelizes".

LEIA TAMBÉM:

Roupa de Janja na posse de Lula: veja valores, quem fez e o que significa o terno dourado

Conheça a Montblanc Writers, a caneta usada por Lula para assinar a posse

Acompanhe tudo sobre:CarnavalEscolas de sambaJanja Lula da SilvaLuiz Inácio Lula da Silva

Mais de Casual

Ícone atemporal, Melissa desembarca em Paris com experiência sensorial

Os 16 melhores vinhos brasileiros avaliados em concurso internacional

Com patrocínio da LVMH, a Olimpíada de Paris vira vitrine para o grupo

Próximo ao prédio mais alto de SP, restaurante com menu do Oriente Médio tem alma da boa comida

Mais na Exame