Entre Trampos e Barrancos: e quando a entrevista vai de mal a pior?

Já perguntaram o seu signo na entrevista de emprego? Confira o podcast Entre Trampos e Barrancos com conselhos para experiências ruins no recrutamento
 (osker14/Divulgação)
(osker14/Divulgação)
L
Luísa GranatoPublicado em 23/08/2020 às 08:00.

Já perguntaram seu signo na entrevista de emprego? Não te contrataram porque seu time era um e o do recrutador, outro? Os leitores da EXAME contaram nas nossas redes sociais e mandaram por e-mails histórias de experiências ruins, bizarras ou esquisitas que tiveram no momento da entrevista.

No podcast Entre Trampos e Barrancos, algumas situações são engraçadas, outras desesperadoras -- e até ilegais. Para esclarecer esses relatos, explicar a melhor forma de agir na entrevista e dar outros conselhos, convidamos Rafael Meneses, sócio e diretor da Page Executive.

Com anos de experiência na área de recrutamento, o executivo revela que já passou por diversos momentos constrangedores. E conta uma história própria e marcante: em um processo seletivo, a segunda parte da entrevista seria em inglês para testar a capacidade na língua, um candidato pediu para ir no banheiro e não voltou mais.

Um lembrete de que a mentira no currículo tem pernas curtas, não é? Confira o episódio completo pelo Spotify.

 

 

Como cheguei aqui

O que é sucesso para você? Para Geraldo Rufino, presidente da JR Diesel, nascer e ter novos oportunidades para aproveitar cada dia já é uma dádiva. Enquanto o sucesso é relativo. “Eu nasci com sucesso”, conta Rufino no segundo episódio do podcast “Como Cheguei Aqui”, o programa de carreira da Exame.

“Os tempos não são difíceis, eles são diferentes. A minha essência nasceu brilhando, eu já era feliz, eu já tinha tudo que o que queria ter: a vida. E para preservar a vida você só precisa de mais um dia”, fala ele. “Para mim, o sucesso é permanente”.

No piloto, o presidente do Google Brasil Fabio Coelho também compartilhou diversas lições sobre como se manter relevante no mercado de trabalho.