• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

Citi se prepara para demitir funcionários não vacinados nos EUA

Funcionários que atuam nos escritórios e não cumprirem a determinação até 14 de janeiro serão colocados em licença não remunerada e desligados até o fim do mês
O Citigroup foi o primeiro grande banco de Wall Street a impor uma ordem rigorosa de vacinação contra a Covid-19: quem não se vacinar corre risco de demissão (AFP/Emmanuel Dunand)
O Citigroup foi o primeiro grande banco de Wall Street a impor uma ordem rigorosa de vacinação contra a Covid-19: quem não se vacinar corre risco de demissão (AFP/Emmanuel Dunand)
Por Jenny Surane, da BloombergPublicado em 08/01/2022 13:39 | Última atualização em 08/01/2022 13:39Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Citigroup foi o primeiro grande banco de Wall Street a impor uma ordem rigorosa de vacinação contra a Covid-19: quem não se vacinar corre risco de demissão. O prazo para os funcionários tomarem a decisão está perto do fim e a instituição se prepara para tomar providências.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho

Funcionários que atuam nos escritórios e não cumprirem a determinação até 14 de janeiro serão colocados em licença não remunerada e desligados até o fim do mês, de acordo com um comunicado enviado a colaboradores e visto pela Bloomberg.

Alguns serão elegíveis a bônus de fim de ano, mas para receber o dinheiro precisarão assinar um termo se comprometendo a não processar judicialmente a instituição, segundo o comunicado.

Mais de 90% dos funcionários do Citigroup nos EUA cumpriram a regra, que também permite isenção por motivos religiosos ou médicos, de acordo com pessoas a par do assunto que solicitaram anonimato para discutir informações privadas.

O banco sediado em Nova York vem enfrentando mudanças nas leis em diferentes regiões dos EUA e críticas por alguns funcionários que ganharam a atenção do público, refletindo a polarização em torno da vacina em todo o país.

Uma porta-voz do Citigroup confirmou que mais de 90% dos funcionários cumpriram a regra e que esse percentual está subindo rapidamente, mas se recusou a fazer comentários adicionais.

A chegada da variante ômicron atrapalhou os planos das empresas americanas de trazer pessoal de volta ao escritório. Paralelamente, as exigências de vacinação impostas por empregadores foram parar nos tribunais. O Citigroup determinou que aproximadamente 70.000 colaboradores se vacinem e esta exigência é das mais rigorosas no setor financeiro dos EUA, que vem tentando tirar os funcionários do home office.

Rivais como Goldman Sachs Group e JPMorgan Chase também fizeram exigências de imunização, mas permitem que os funcionários não tomem a vacina se não entrarem nos escritórios.

Os mandatos de vacinação se tornaram um problema para empregadores em diversos setores — de hospitais a forças policiais e corporações — e já resultam em litígios e resistência por parte de alguns trabalhadores, apesar de haver amplo enquadramento de maneira geral. Nesta sexta-feira, a Suprema Corte dos EUA ouve argumentos sobre uma ordem da Casa Branca para que grandes empregadores exijam vacinas ou testes semanais de Covid, sinalizando mais mandatos adiante se a regra avançar.

A digitalização do mercado de trabalho vai roubar seu emprego? Saiba como se adaptar. Assine a EXAME.