Carreira
Acompanhe:

4 alternativas para bancar seu MBA

As inscrições para pós-graduação em administração começam neste mês. Veja algumas opções para pagar o curso

Custo do aprendizado: No Brasil, um programa de pós-graduação com duração de dois anos e carga horária entre 450 e 620 horas pode custar de 30 000 a 80 000 reais (Germano Luders)

Custo do aprendizado: No Brasil, um programa de pós-graduação com duração de dois anos e carga horária entre 450 e 620 horas pode custar de 30 000 a 80 000 reais (Germano Luders)

I
Isabela Lafri

3 de abril de 2013, 18h42

São Paulo - A partir deste mês começam as inscrições para os programas de pós-graduação em administração, mestrado profissional e MBA nas universidades e fundações no brasil. A decisão pelo curso exige uma análise minuciosa de suas metas de carreira, da ementa do programa, dos professores, da escola e, claro, do custo.

Embora muitas empresas financiem parte da formação do funcionário, no Brasil seis em cada dez alunos de MBA ainda pagam integralmente o curso.

"Antes de decidir sobre a melhor forma de bancar a pós-graduação, é preciso colocar absolutamente tudo na ponta do lápis", diz fábio Gallo, professor de finanças da fundação Getulio Vargas de são Paulo.

A maioria das pessoas esquece de incluir os gastos com material escolar, transporte, combustível, estacionamento e alimentação. "As viagens acadêmicas precisam ser incluídas nessa planilha", diz Fábio.

Mauro Calil, educador financeiro, de São Paulo, acrescenta à lista de despesas as happy hours com a turma do MBA e a provável festa de conclusão do curso. "Se não incluir todas as previsões de despesas na planilha, é grande o risco de ver o dinheiro minguar no fim do mês sem saber o porquê", diz Mauro.

Os interessados em fazer cursos no exterior devem acrescentar a cotação da moeda do país onde querem estudar.

No Brasil, um programa de pós-graduação com duração de dois anos e carga horária entre 450 e 620 horas pode custar de 30 000 a 80 000 reais, dependendo da universidade. Como o valor é alto, é preciso ajustar seu orçamento e fazer um planejamento prévio das despesas durante o período das aulas.


Se você já escolheu sua escola e colocou a previsão de gastos numa planilha, então, é hora de decidir qual é a melhor forma de pagar seus estudos. Ao lado, você poderá escolher entre quatro alternativas.

1 Pagar à vista

Você pode economizar dinheiro durante um ano e fazer o pagamento do curso à vista. Nesse caso, a negociação com a escola pode garantir um desconto de até 15%.

2 Empréstimo

Os juros dos financiamentos para pagar o MBA variam de 1,95% a 3,17% ao mês, nos principais bancos de varejo. Mas dá para achar taxas menores. "Se o aluno tiver acesso ao crédito consignado, será bem mais vantajoso", diz Mauro Calil.

Para a professora de finanças Ângela Menezes, de São Paulo, recorrer ao banco deve ser a última opção. "A maioria das escolas financia o curso para o aluno com juros até menores do que os cobrados pelos bancos", afirma Ângela.

3 Saque do banco

O resgate de seus investimentos só deve ser feito se a rentabilidade das aplicações for menor do que os juros cobrados no empréstimo bancário. Caso contrario, o empréstimo é mais vantajoso.

Mesmo que o dinheiro que você tem no banco seja suficiente para pagar o curso à vista, só faça o resgate se o desconto percentual da escola for maior que o percentual de rentabilidade de seu investimento.

4 Bolsa de estudos

A bolsa é uma opção. "Mas a maioria das escolas não oferece a alternativa", diz Mauro Calil.