Bússola

Um conteúdo Bússola

Imóveis sustentáveis geram economia superior a 20% em água e energia

Com certificação Edge, empreendimentos da Tegra destacam-se também pela eficiência superior a 30% de energia embutida

Cada unidade habitacional possui certificado individual (Bússola/Reprodução)

Cada unidade habitacional possui certificado individual (Bússola/Reprodução)

B

Bússola

Publicado em 25 de agosto de 2022 às 16h00.

Última atualização em 25 de agosto de 2022 às 16h03.

Por Bússola 

Dois empreendimentos da Tegra Incorporadora com proposta sustentável alcançam economia superior a 25% no gasto de energia elétrica e de 20% no consumo de água em relação ao padrão das edificações residenciais de perfil semelhante, de acordo com a certificação internacional Edge, do inglês, Excellence in Design for Greater Efficiencies. Os residenciais Ode Perdizes e Gravura Perdizes, ambos em construção na zona oeste de São Paulo, receberam o selo, que dá parâmetros e visibilidade para as soluções verdes no mercado imobiliário.

O Edge define, como base de comparação, a prática de construção padrão predominante em uma região nos três anos anteriores. O empreendimento Ode Perdizes, com unidades familiares de quatro dormitórios e studios, gera uma economia de 29% no consumo energético e de 21% no consumo hídrico. A redução de energia incorporada no uso de materiais nesse empreendimento chega a 40%, de acordo com a certificação Edge. No Gravura Perdizes, que também terá apartamentos de quatro dormitórios e studios, a eficiência energética atinge os 32%, a diminuição no uso de água é de 21%, e a redução da energia incorporada nos materiais é de 30%. 

“Desde a concepção, esses projetos foram desenvolvidos a partir de premissas de alto desempenho, incluindo o conforto e a saúde no ambiente construído, o desempenho ambiental, as economias de água e energia e a manutenção e a conservação. Agora, o selo Edge torna esses diferenciais mais palpáveis”, diz o diretor de ESG e suprimentos da empresa, Angel Ibañez. 

Concedida pelo Green Building Certification Inc, a certificação Edge está presente em mais de 180 países e avalia a eficiência de recursos das edificações a partir de três focos – Energia, Água e Energia Incorporada em Materiais. O processo de certificação envolve uma etapa preliminar, que considera o projeto do empreendimento, e uma certificação final, concedida no momento da entrega do imóvel. Para obter o reconhecimento do selo, o empreendimento deve atingir, ao menos, 20% de eficiência em cada uma dessas categorias. Cada unidade habitacional possui o seu certificado individual, atestando o desempenho do imóvel.       

“Para a eficiência energética, ambos os residenciais terão sistemas completos de aquecimento solar da água, elementos para isolamento nas coberturas e vidros eficientes que visam garantir maior conforto térmico, além de sistemas de iluminação otimizada nas áreas comuns”, afirma Ibañez. 

A economia de água nos dois projetos, segundo ele, também será garantida por soluções acessíveis, com a implantação de um sistema de irrigação inteligente, somado a um sistema de tratamento e reaproveitamento de águas pluviais, que otimiza o consumo nas áreas comuns. Para as unidades, o diferencial está nas torneiras e duchas entregues, que evitam o desperdício de água.   

Compromisso ambiental 

Além da certificação dos empreendimentos, a Tegra reforçou seu compromisso socioambiental em 2022. A empresa anunciou metas ESG para 2030, alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Entre suas projeções para os próximos anos, ela pretende investir 30 milhões em projetos de inovação ligados à economia circular, reduzir as emissões próprias de carbono em 50% e impactar positivamente mais de 2,4 milhões de pessoas por meio de práticas sociais, educação, cultura, capacitação, voluntariado e filantropia. 

A companhia compensa 100% das emissões de carbono de suas obras desde 2019, nos escopos 1, 2 e 3, que considera também o impacto dos fornecedores, e se destaca por reciclar mais de 97% dos resíduos gerados nos seus canteiros. Essas e outras ações estão descritas no mais recente relatório anual de sustentabilidade da Tegra, organizado no padrão GRI e auditado por uma consultoria internacional. 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também:

ESG: precisamos espalhar exemplo brasileiro, diz Gustavo Oliveira, da Fiemt 

Como escolher os indicadores ESG de sua empresa? 

Chegou a hora de desmistificar o ESG 

 

Acompanhe tudo sobre:ImobiliáriasImóveisMeio ambienteSustentabilidade

Mais de Bússola

Bússola Poder: políticos do mundo, uni-vos. Outros pagam a conta

Campos do Jordão ganha exposição do artista plástico Renot

Lacuna no setor será chave para essa empresa de bairros planejados vender R$ 300 mi

Oi aposta em estratégia ESG para acelerar processo de recuperação judicial

Mais na Exame