A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Geekonomy: Qual é a melhor plataforma de streaming para você?

Poder de escolha entre serviços disponíveis gera confusão quanto ao custo-benefício, mas nunca houve tanta oferta de conteúdo de entretenimento como hoje

Por Cauê Madeira*

Você já parou para calcular quanto gasta com plataforma de streaming por mês? Esses dias um amigo comentou que, em breve, vai gastar mais com streaming do que gastava com TV a cabo, dando a entender que estaria trocando seis por meia dúzia – ou, pior que estaria no prejuízo. E eu, que sou de humanas, já recorri ao guardanapo, peguei a caneta e fiz a famosa conta de padaria.

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Hoje assino cinco serviços diferentes, e a verdade é que gasto bem menos atualmente do que desembolsava com um pacote único de assinatura de trocentos canais que eu nunca assistia, casado com internet e telefone. Aliás, telefone fixo eu não tenho mais. Quem usa? Nem mesmo as empresas, em época de home office, atendem esse tipo de contato.

Você com certeza leu sobre o assunto, e talvez até já tenha assinado, mas semana passada (29) o HBO Max foi lançado no Brasil. Ao lado de outros serviços como Netflix, Amazon Prime Video, Disney+, GloboPlay e tantas outras, esse acaba sendo mais um reflexo da aceleração que a pandemia deu ao mercado de entretenimento, fortalecendo esse tipo de serviço – mas prejudicando outras frentes, como as salas de cinema, que também buscaram se reinventar ao revisitar o formato drive-in ou criando experiências mais imersivas.

Aliás, se você contar o que deixou de gastar com cinema, não tenho dúvida que, sem TV a cabo e sem o ingresso para a telona, você está economizando uma parcela de um bom smartphone (uma segunda tela para assistir aos streamings, né?).

Não há quem não concorde que o mercado de TV por assinatura precisa se reinventar. Mas na mesma medida em que sobram palpites, faltam soluções. O próprio mercado pode ter dado uma pista, pois da mesma forma que a pandemia acelerou o mercado de streaming global, ele engoliu muitas iniciativas locais.

A FOX, antes de ser comprada pela Disney, oferecia um acesso a seu streaming exclusivo se você fosse assinante da TV a cabo. O Tele Cine apostou em um serviço de transmissão de filmes com um catálogo bem extenso para sobreviver. Aliás, eles liberaram o sinal dos canais por assinatura semana passada, para combater a chegada do HBO Max.

Portanto, será que a reinvenção não é o próprio streaming? O movimento é semelhante ao que aconteceu com a indústria fonográfica 20 anos atrás.

Já não é nenhum segredo que a TV por assinatura segue em queda livre. Pela primeira vez desde abril de 2012, o modelo registrou menos de 14 milhões de clientes. Somente entre maio de 2020 e maio de 2021 foram 1,27 milhão de contratos perdidos, segundo dados da Anatel.

Mas qual é a plataforma de streaming ideal para você?

Todas. Ou nenhuma. Ou uma de cada vez. Você que manda.

Se meus dados de transmissão de internet fossem uma moeda, essa semana a Netflix seria a grande vencedora de meus créditos digitais. Tudo porque venho maratonando as quatro temporadas disponíveis de The Bold Type (me julguem). No entanto, se a fiscalização tivesse chegado algumas semanas antes, me encontraria despejando audiência para o Amazon Prime Video, enquanto eu revia todas as temporadas de LOST (me julguem, parte 2).

Vira e mexe, devo confessar, passo meus almoços no Globoplay assistindo a Laços de Família, a famosa novela do início da década retrasada que tratava do triângulo amoroso entre Helena (Vera Fischer), Edu (Reynaldo Gianecchini) e Camila (Carolina Dieckmann) – me julguem, parte 3. E em breve passarei para o Disney+, estou apenas aguardando chegar todos os episódios de Loki, que saem semanalmente, mas eu gosto de ver de uma só vez. Talvez antes disso eu dê uma chance ao HBO Max, já que não pirateei o episódio especial de Friends. #EuEscolhiEsperar.

Essa é a beleza do streaming. Você não precisa assinar todos de uma vez – a não ser que tenha comprado o pacote anual com desconto, ou entrado em alguma promoção que valha a pena. Eu acabo assinando por comodidade, facilidade de zapear mesmo.

Se a preocupação é com o custo, faça um rodízio, uma lista de tudo que gostaria de assistir em cada plataforma, e assine uma diferente por mês. E se mesmo assim estiver pesado, vou citar meu colega Danilo Vicente aqui, porque outro dia ele listou 14 opções de plataformas de streaming gratuitas em sua coluna Bússola Play. Fica a dica.

*Cauê Madeira é sócio-diretor de Growth na Loures Consultoria

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também