• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Zoo de SP ganha espaço para reprodução de espécies ameaçadas

As espécies selecionadas inicialmente incluem araras-azuis, mico-leão-preto, mico-leão-dourado, mico-leão-da-cara-dourada e tamanduá-bandeira
 (EXAME.com)
(EXAME.com)
Por José Maria TomazelaPublicado em 19/06/2015 16:16 | Última atualização em 19/06/2015 16:16Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Sorocaba - Extremamente raro na natureza, um casal de arara-azul-de-lear criado no Zoológico de São Paulo está encontrando condições ideais para reprodução a 110 quilômetros da capital. O Centro de Conservação da Fauna Silvestre do Estado de São Paulo, inaugurado nesta sexta-feira, 19, em Araçoiaba da Serra, interior de São Paulo, reproduz o hábitat natural de espécies ameaçadas para favorecer o acasalamento.

O recinto do casal de araras, espécie endêmica da região norte da Bahia, tem até um barranco de arenito, como os paredões frequentados por essas aves na natureza.

De acordo com a secretária estadual do Meio Ambiente, Patrícia Iglecias, o objetivo do centro é promover a conservação das espécies no próprio ambiente onde ocorrem ou fora, mas em condições próximas do ambiente natural.

As espécies selecionadas inicialmente incluem ainda o mico-leão-preto, o mico-leão-dourado, o mico-leão-da-cara-dourada e o tamanduá-bandeira, todos ameaçados de extinção.

A unidade ocupa área de 80 mil m² na fazenda que a Fundação Parque Zoológico de São Paulo mantém no bairro Jundiaquara, na cidade do interior, visando à produção de alimentos para os animais de seu acervo.

O projeto, que envolve vários institutos de pesquisa e universidades, desenvolverá ainda pesquisas e programas para reintrodução de espécies cativas na natureza.

Para isso, o centro conta com suporte do Departamento de Pesquisa Aplicada do zoo e vai compartilhar projetos com outras nove instituições brasileiras e internacionais. Resultado de investimento de R$ 4 milhões, a unidade conta com áreas de medicina veterinária e biologia, salas de manejo, cirurgia e internação, laboratórios, berçário e incubadora.