Witzel vai para hospital após afirmar que está com o novo coronavírus

Segundo assessores, o governador foi à unidade de saúde para fazer exames; em vídeo, governador afirmou que sentiu os sintomas da doença

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi levado a um hospital nesta terça-feira para ser submetido a exames após diagnóstico confirmado para covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, disseram assessores do governo estadual.

Segundo dois assessores, que falaram sob condição de anonimato, o governador foi levado para um hospital particular em Copacabana, na zona sul da capital fluminense, para ser submetido a exames, mas, se houver necessidade, ele poderá ser internado.

Witzel havia anunciado mais cedo, em vídeo no Twitter, que estava com a doença, mas disse que continuaria trabalhando no Palácio das Laranjeiras, a residência oficial.

"Desde sexta-feira não venho me sentindo bem, pedi que fosse feito o teste de Covid e hoje veio o resultado positivo", disse Witzel em um vídeo publicado em sua conta no Twitter.

"Graças a Deus estou me sentindo bem, continuarei trabalhando aqui do Palácio Laranjeiras, mantendo as restrições e as recomendações médicas e tenho certeza que vou superar mais essa dificuldade", acrescentou.

Witzel disse no vídeo que teve febre, perda de olfato e dor de garganta, e aproveitou o vídeo em que anunciou que tem a doença para reiterar o pedido para que a população fluminense fique em casa para ajudar a conter a propagação do vírus.

"Eu peço mais uma vez para que fiquem em casa, porque a doença, como todos podem estar percebendo, ela não escolhe ninguém e o contágio é rápido", afirmou.

De acordo com dados do Ministério da Saúde divulgados nesta terça-feira, existem 25.262 casos confirmados de Covid-19 no país, com 1.532 mortes confirmadas pela doença. O Estado do Rio de Janeiro responde por 3.410 casos e 224 mortes.

Assim como a grande maioria dos governadores, Witzel adotou medidas de restrição à circulação no Estado, como o fechamento do comércio não essencial, e tem defendido com frequência o isolamento social como forma de combater a disseminação da doença.

O governador fluminense, ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), tem entrado em atrito com o presidente Jair Bolsonaro, que é contrário às medidas restritivas impostas pelos governadores e que tem apontado que elas provocarão uma paralisação na economia tão danosa quanto o coronavírus.

Witzel não é a primeira autoridade a contrair a doença no Brasil. Antes dele, os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, além do chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, contraíram a doença após viagem aos Estados Unidos com Bolsonaro.

O presidente também fez o exame para detectar a doença e disse que seu resultado deu negativo. Ele recusou pedidos da imprensa para divulgar o laudo do exame.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também foi diagnosticado com o Covid-19, mas assim como as demais autoridades já se recuperou e retornou ao trabalho.

Nesta terça-feira, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), também anunciou estar infectado com o coronavírus.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.