Um raio-x dos assassinatos no Brasil em 10 anos

Em 2014, o número de homicídios no país atingiu a marca de 59,6 mil vítimas - o maior da história

São Paulo — Em 2014, cerca de 59.627 pessoas sofreram homicídio no Brasil — o maior recorde na história. Isso significa que, no ano da Copa do Mundo, sete pessoas foram mortas por hora e que, ao menos, 10% dos homicídios do mundo aconteceram por aqui. 

Em termos relativos, foram registrados 29,1 homicídios a cada 100 mil habitantes. Dez anos antes, o indicador do país era de 26,5 mortes a cada 100 mil habitantes (um aumento de 10%). 

As informações fazem parte do Atlas da Violência 2016, diivulgado nesta terça-feira (22) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). 

Contrastes entre estados

Em geral, os estados do Nordeste foram os que registraram o maior crescimento na taxa de homicídios no período 2004-2014. No Rio Grande do Norte, por exemplo, o aumento ultrapassou os 308% passando de 11,3 para 46,2 mortes a cada 100 mil habitantes.

Outros cinco estados tiveram aumentos superiores a 100% nas mesmas taxas. São eles: Maranhão, Ceará, Bahia, Paraíba e Sergipe.

O Pernambuco, por outo lado, viveu um cenário oposto na última década. De 2004 a 2014, a taxa de homicídios passou de 49,2 a cada 100 mil habitantes para 35,7. A redução fez com que o estado entrasse na lista dos que conseguiram reduzir o indicador de violência. 

Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rondônia, Rio de Janeiro e São Paulo também tiveram queda na taxa.

A maior delas foi registrada em em São Paulo, que passou de 28,2 homicídios a cada 100 mil habitantes em 2004 para 13,4 em 2014 — uma diminuição de 52,4%.

Abaixo, é possível encontrar o indicador nos estados em 2004 e em 2004.

//e.infogr.am/js/embed.js?jiH

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.