Tribunal de Contas cobra ações preventivas a desastres nas barragens de SP

Órgão determinou que a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente encaminhe informações sobre as fiscalizações e um diagnóstico das barragens paulistas

São Paulo - Uma semana depois do estouro da barragem de Brumadinho (MG), que chocou o mundo, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo ligou o sinal de alerta e determinou à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente que encaminhe informações sobre suas atividades de fiscalização - e um diagnóstico de todas as barragens paulistas, principalmente daquelas vinculadas a empresas mineradoras.

Em despacho publicado nesta sexta-feira, dia 1º, no Diário Oficial do Estado, o conselheiro Dimas Ramalho, que relata as contas da secretaria no Exercício de 2018, concedeu prazo de 15 dias para que a pasta encaminhe dados sobre as atividades de licenciamento, fiscalização e monitoramento das barragens que são de competência estadual.

Dimas Ramalho pede detalhes sobre "ações preventivas a desastres" e um "relatório indicando a situação em que se encontram" as barragens. O conselheiro afirma que a medida busca avaliar as ações da pasta "no tocante à prevenção de danos ao meio ambiente, de danos materiais e à população".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.