Brasil
Acompanhe:

Tarcísio anuncia nova secretaria dedicada às Parcerias Público-Privadas em SP

O ex-ministro também confirmou que deve criar uma nova pasta dedicada às políticas para mulheres, promessa feita ao longo da campanha, e desmembrar a de Desenvolvimento Regional

SP: Segundo Tarcísio, a nova área criada para se dedicar à interface com a iniciativa privada deve incorporar também as agências reguladoras da administração (Iara Morselli/Divulgação)

SP: Segundo Tarcísio, a nova área criada para se dedicar à interface com a iniciativa privada deve incorporar também as agências reguladoras da administração (Iara Morselli/Divulgação)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 29 de novembro de 2022, 15h09.

O governador eleito Tarcísio de Freitas (Republicanos) anunciou nesta terça-feira, 29, que vai criar uma secretaria dedicada ao gerenciamento de projetos de Concessão e Parcerias Público-Privadas em São Paulo. O ex-ministro também confirmou que deve criar uma nova pasta dedicada às políticas para mulheres, promessa feita ao longo da campanha, e desmembrar a de Desenvolvimento Regional.

O nome que vai chefiar a nova área de parcerias parte da cota de indicados pelo governador eleito, tomados por ele como de perfil técnico. Já a secretaria da Mulher deve ser chefiada pela deputada federal Rosana Valle (PL-SP), apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Segundo Tarcísio, a nova área criada para se dedicar à interface com a iniciativa privada deve incorporar também as agências reguladoras da administração, como a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de São Paulo (Arsesp).

Tarcísio informou ainda que a atual secretaria de Desenvolvimento Regional será desmembrada nas pastas da Casa Civil, que será chefiada pelo advogado Arthur Lima; e na de Governo, que ficará nas mãos do presidente do PSD, Gilberto Kassab. A divisão delega todo o poder de articulação política com as prefeituras à área chefiada por Kassab, que já vai agregar também o diálogo com o Palácio do Planalto e com a Assembleia Legislativa de São Paulo.

"A gente está definindo as últimas dúvidas que temos em relação ao organograma, em relação à distribuição das secretarias e também das entidades e organizações que vão fazer parte de cada uma das secretarias. É muito importante que o instrumento correto fique vinculado à secretaria correta para que aquele secretário possa ter efetividade na política pública", afirmou Tarcísio a jornalistas.

Outra área que deve mudar o organograma sob a gestão de Tarcísio é a da Fazenda. A partir de 2023, a pasta vai agregar as estruturas de planejamento, orçamento, receita e tesouro. A alteração libera a atual secretaria de Planejamento e Gestão para comandar apenas questões relacionadas às gestão de processos, pessoas e governo digital no Estado.

"A gente vai ter uma secretaria de gestão que vai ser responsável por conduzir toda a parte de governo digital. Não faz sentido ter uma secretaria de planejamento apartada. Fazenda vai agregar planejamento, orçamento, receita e tesouro. E tem uma área de gestão que vai se preocupar com gestão, governo digital e recursos humanos", disse.

Os coordenadores que vão chefiar as equipes temáticas do governo de transição também foram anunciados. Entre eles, estão o deputado federal Capitão Derrite (PL-SP), cotado para chefiar a pasta de Segurança Pública, e o economista Samuel Kinoshita, que deve assumir a Fazenda. Secretários já anunciados também vão comandar os eixos vinculados às suas áreas, como o empresário Renato Feder, que assume a Educação; a advogada Natalia Resende, que fica com Infraestrutura, Meio Ambiente e Transportes, e o médico Eleuses Paiva, responsável pela Saúde.

LEIA TAMBÉM:

Tarcísio faz primeiro gesto ao PSDB e apoia recondução de tucano no Sebrae de SP

Quem são os secretários já anunciados por Tarcísio para o governo de SP