Servidores da Funai entram em greve por morte de Bruno Pereira e Dom Philips

Funcionários também pedem a saída de presidente do órgão; corpos devem ser liberados para as famílias na sexta, dia 24
Bruno Pereira e Dom Philips: servidores da Funai entram em greve em protesto a assassinatos (Agência O Globo/Reprodução)
Bruno Pereira e Dom Philips: servidores da Funai entram em greve em protesto a assassinatos (Agência O Globo/Reprodução)
Por Carla AranhaPublicado em 23/06/2022 06:00 | Última atualização em 22/06/2022 16:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Em protesto ao assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Philips, os servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai) entram em greve nesta quinta, dia 23. Eles também pedem a saída do presidente do órgão, Marcelo Xavier.

"Manifestaremos nossa profunda tristeza e indignação pelo assassinato bárbaro do nosso colega Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips e exigiremos a devida identificação e responsabilização de todos os culpados. Exigiremos, ainda, a saída imediata do Presidente da Funai, Marcelo Xavier, que vem promovendo uma gestão anti-indígena e anti-indigenista na instituição", afirmou, em nota, a associação de servidores da fundação.

Bruno Pereira e Dom Philips desaparecem no dia 5 de junho, durante uma expedição pela Amazônia. A dupla se dirigia à reserva indígena do vale do Jamari, no Amazonas. Os restos mortais de Pereira e Philips foram encontrados no último dia 15, após buscas dos indígenas, Exército e Polícia Federal. Três suspeitos foram presos, o pescador Amarildo da Costa Oliveira e seu irmão, Oseney da Costa de Oliveira, além de Jeferson da Silva Lima. Os mandantes do crime, no entanto, ainda não foram revelados.

Bruno Pereira havia sido demitido da Funai em outubro de 2019, logo após a chegada de Xavier ao comando do órgão. Segundo servidores da Funai, houve uma demissão generalizada, com a troca de 15 coordenações de diversas áreas da autarquia.

Nesta quarta, dia 22, uma equipe de peritos da Polícia Federal deu início a uma operação para montar o quebra-cabeça do crime e estabelecer uma cronologia dos fatos. Está prevista uma perícia no barco utilizados pelas vítimas. A embarcação foi localizada no último dia 19.

A análise final do DNA de Pereira e Philips deve ser concluída nesta sexta, dia 14, quando então os corpos deverão ser liberados para as famílias.

LEIA MAIS: