Rebelião em presídio de Aracaju acaba após 19 horas de duração

Desde o início do motim, reféns e presos foram mantidos sem acesso à comida, água e energia

Após 19h, acabou a rebelião no Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho (Compajaf), no Bairro Santa Maria, em Aracaju (SE). De acordo com o Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC), o motim foi encerrado pouco depois das 10h de hoje (21). Não houve mortes.

Desde o início do motim, reféns e presos foram mantidos sem acesso à comida, água e energia. Antes de se renderem, os presos pediram a presença da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SE).

Abusos

A rebelião começou no início da tarde de ontem (20), quando 80 presos do Pavilhão C mantiveram reféns os 97 familiares que estavam na unidade durante a visita. Segundo a Secretaria de Justiça de Sergipe (Sejuc), o Compajaf tem capacidade para 595 presos e atualmente abriga 530 presos.

A secretaria não confirmou o motivo da rebelião, mas informou que ela teve início após protesto de familiares dos detentos, que reclamaram de supostos abusos durante o processo de revista e da situação dos detentos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.