População aplaude metroviários em greve no Jabaquara

"A gente não quer prejudicar a população, mas quer defender os direitos dos trabalhadores", disse um operador de trem
Estação Jabaquara: funcionários orientam população por melhores formas de locomoção (Bárbara Ferreira Santos/Site Exame)
Estação Jabaquara: funcionários orientam população por melhores formas de locomoção (Bárbara Ferreira Santos/Site Exame)
B
Bárbara Ferreira Santos

Publicado em 15/03/2017 às 08:00.

Última atualização em 15/03/2017 às 11:11.

São Paulo - Na estação Jabaquara, linha 1-Azul do metrô de São Paulo, funcionários em greve estão dando explicações aos usuários de como eles podem chegar ao trabalho.

Eles fizeram um discurso na frente da estação explicando às pessoas que o motivo da greve não é contra a população, mas para defender a aposentadoria de todos.

"A gente não quer prejudicar a população, mas quer defender os direitos dos trabalhadores", afirmou o operador de trem da linha 1-azul, Altino de Melo.

Após o discurso, os funcionários chegaram a ser aplaudidos pelas pessoas que pediam informações sobre os trens.

"Mesmo com a liminar, a gente decidiu manter a greve e vamos recorrer da decisão. A gente gostaria de ver liminar para defender o trabalhador e não para nos prejudicar", disse Altino.

"Deveria ter uma liminar para impedir que o Temer não prejudique a nossa aposentadoria. Aliás, se ele quer mudar a aposentadoria, ele deveria abrir mão da dele, que ele obteve quando tinha 55 anos".

Segundo os funcionários, oito trens estão circulando na linha azul entre as estações Ana Rosa e Luz, operados por supervisores.