Pedágio no Trecho Sul do Rodoanel pode ser antecipado

O edital estabelece que ele precisa entrar em operação até março de 2014. O diretor-executivo do SPMar pede antecipação do programa
Na primeira fase, estão previstos investimentos de R$ 450 milhões (Mário Rodrigues/VEJA)
Na primeira fase, estão previstos investimentos de R$ 450 milhões (Mário Rodrigues/VEJA)
D
Da RedaçãoPublicado em 10/03/2011 às 13:50.

São Paulo - O início da cobrança de pedágio no Trecho Sul do Rodoanel Mario Covas, em São Paulo, pode ser antecipado em até dois meses. A informação foi dada hoje pelo diretor-executivo do consórcio vencedor do leilão de concessão, o SPMar, Marcelo de Afonseca e Silva. De acordo com o edital de licitação, antes da cobrança do pedágio o consórcio, do Grupo Bertin, tem seis meses para fazer uma série de melhorias nas estradas. "Acreditamos que podemos concluir tudo em quatro meses. Estamos pedindo a antecipação do programa", afirmou Silva. O trecho Sul tem 61,4 quilômetros de extensão.

Nesta primeira fase, estão previstos investimentos de R$ 450 milhões. De acordo com o executivo, R$ 230 milhões serão de capital próprio e outros R$ 220 milhões virão de financiamentos já obtidos junto ao Banco do Brasil (BB) e ao Banco Votorantim.

Com relação ao Trecho Leste, cujas obras ainda devem ser iniciadas, o edital estabelece que ele precisa entrar em operação até março de 2014. Os investimentos totais nos dois trechos são estimados em cerca de R$ 5,5 bilhões. Na manhã de hoje, no Palácio dos Bandeirantes, foi oficialmente assinado o contrato de concessão dos dois trechos com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.