Marta ainda não se engajou na pré-campanha de Haddad

Mesmo sendo membro do grupo criado para discutir as estratégias dessa campanha, a senadora também não apareceu em nenhum dos dois encontros anteriores

São Paulo - Uma das ausências mais notadas na despedida do petista Fernando Haddad do Ministério da Educação na última terça-feira (24), em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) não deve participar também amanhã da reunião do Conselho Político da pré-campanha do ex-ministro à Prefeitura de São Paulo. Mesmo sendo membro do grupo criado para discutir as estratégias dessa campanha, a senadora, que está em férias fora da capital paulista, também não apareceu em nenhum dos dois encontros anteriores. "Problema de agenda, foi o que ela nos informou", justificou o presidente do diretório municipal, vereador Antonio Donato.

Segundo a assessoria de imprensa da senadora, Marta só voltará à atividade política na segunda-feira (30). Assim como os outros 26 membros do conselho, Marta foi informada sobre a reunião, porém não confirmou presença. "Ela vai colaborar com a campanha, mas evidentemente ela tem a agenda dela", desconversou Donato. A petista, que administrou a cidade de 2001 a 2004, é apontada nos bastidores como um dos cabos eleitorais fundamentais para a eleição de Haddad.

O encontro deste sábado será o primeiro compromisso de Haddad na condição de ex-ministro da Educação. A pauta central do evento será a proposta de aliança com o PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Para Antonio Donato, a ausência de Marta neste encontro não deverá prejudicar as discussões. "A aliança não vai se definir agora. O encontro será só uma reflexão", argumentou.

Nos últimos dias, a petista tem evitado o contato com a imprensa e ainda não se posicionou publicamente sobre a iniciativa de Kassab, em tentar fechar acordo com o PT. Marta se mantém distante também das discussões de seu partido quanto à troca do comando na vice-presidência do Senado, objeto de impasse interno, porque ela resiste ao cumprimento do acordo firmado em fevereiro do ano passado para ceder a vice-presidência ao colega José Pimentel (PT-CE).

Ao deixar a cerimônia no Palácio do Planalto, na terça-feira (24), Haddad minimizou a ausência da senadora na cerimônia de transmissão de cargo para Aloizio Mercadante. "É uma ilusão imaginar que a Marta estará ausente da campanha. Quem a conhece sabe que, no devido momento, ela vai mergulhar de cabeça. É uma pessoa que sabe da importância do nosso projeto de reconquistar a Prefeitura, inclusive para resgatar bandeiras caras à sua administração", disse Haddad. Em novembro passado, Marta foi pressionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela presidente Dilma Rousseff a desistir da candidatura em favor de Haddad e até hoje não faz questão de esconder sua frustração.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.