A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Lula réu pela 5ª vez; Delações no STF…

Lula réu — de novo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou mais uma vez réu — a quinta, terceira na Lava-Jato — nesta segunda-feira. Desta vez, Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em esquemas relacionados à Odebrecht. Também viraram réus a mulher de Lula, Marisa Letícia, o empreiteiro Marcelo Odebrecht, o ex-ministro Antonio Palocci e outras cinco pessoas. A denúncia é relacionada a propinas pagas pela empresa no esquema da Petrobras para a compra de um terreno que seria sede do Instituto Lula, na zona sul de São Paulo.

__

Cunha diz ser pressionado

A defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha alegou numa petição protocolada no STF que ele está sendo pressionado pela Lava-Jato para fazer o acordo de delação premiada. Os advogados dizem que a transferência do ex-deputado para o Complexo Penal de Pinhais, no Paraná, é uma forma de pressão para que ele colabore na operação. Cunha foi transferido nesta segunda-feira para o presídio sob a alegação de que a carceragem da Polícia Federal está ficando superlotada. Para os advogados, o problema é que outros presos, como Leo Pinheiro, da OAS, que já estão condenados não tiveram o pedido de transferência aceito.

__

O discurso de Temer

Preocupado com a baixa popularidade, o presidente Michel Temer deve fazer um pronunciamento público em cadeia nacional de rádio e televisão no final deste ano. Temer quer tentar reverter a imagem ruim que está sendo criada em torno de seu mandato e explicar de maneira pessoal a reforma da Previdência e a PEC do Teto de Gastos. De acordo com a Folha de S.Paulo, o presidente estaria descontente com a cobertura feita pela imprensa desses temas. Há dúvidas, no entanto, quanto à realização do pronunciamento. O medo é repetir Dilma Rousseff, que foi alvo de um “panelaço” quando tentou ter a mesma atitude no início de 2015.

__

Delações da Odebrecht chegam ao STF

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF as delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht. A entrega aconteceu depois que o presidente Michel Temer pediu celeridade ao caso por parte da PGR. Os documentos foram alojados na sala-cofre do Supremo e devem ser acessados somente pelo ministro relator da Lava-Jato, Teori Zavascki, e por sua equipe. São centenas de depoimentos gravados em vídeo ou em texto que serão analisados pelo ministro, que decidirá se a delação será homologada. Ele criticou os vazamentos de informações da delação na imprensa nos últimos dias.

__

Doria diplomado

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria, foi diplomado na manhã desta segunda-feira. Além dele, foram oficializados no cargo o vice-prefeito, Bruno Covas, e os 55 vereadores da cidade. A cerimônia aconteceu na Sala São Paulo, no centro. Durante o discurso, Doria negou que recuará de algumas das promessas de campanha, como o aumento da velocidade das marginais. Quando a vereadora Sâmia Bomfim, do PSOL, foi receber seu diploma, parte do público começou a gritar “fora, Temer”, em alusão à saída do presidente da República do cargo.

__

Votação de pacote adiada no Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro adiou para 2017 a votação da principal medida do pacote anticrise proposto pelo governo de Luiz Fernando Pezão. A medida previa a elevação da contribuição previdenciária dos funcionários públicos para 14%. Outra medida, que adia para 2020 o reajuste de vencimentos na área da segurança pública, foi devolvida ao governo. O presidente da Alerj, Jorge Picciani, do PMDB, criticou o governador, do mesmo partido. “Falta governo, não tem nenhuma coordenação no governo. Se não fizer reformas estruturais, não resolve [a crise]”, disse. Por outro lado, Picciani negou a possibilidade de impeachment, que vem sendo aventada no estado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também