Brasil

'Nós estamos prontos', diz Lula sobre posicionamento do Mercosul em um acordo com a União Europeia

Em discurso na Bolívia, presidente voltou a falar do interesse de acordo comercial entre os blocos

Presidente Lula durante a cerimônia de assinatura e entrega da Carta de Ratificação de Adesão da Bolívia ao Mercosul em 7 de dezembro de 2023 (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

Presidente Lula durante a cerimônia de assinatura e entrega da Carta de Ratificação de Adesão da Bolívia ao Mercosul em 7 de dezembro de 2023 (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 10 de julho de 2024 às 06h57.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a cobrar a União Europeia pela conclusão do acordo de livre comércio com o Mercosul. Em discurso na Bolívia na terça-feira, 9, Lula disse que os países sul-americanos estão prontos para assinar o acordo e que seu desfecho depende somente do bloco europeu.

A uma plateia de empresários brasileiros e bolivianos em um fórum econômico na cidade de Santa Cruz de la Sierra, o presidente afirmou que os membros do Mercosul têm interesse em fechar o acordo, negociado durante mais de duas décadas, ainda em 2024.

"Da nossa parte está totalmente pronto, tudo acordado. O que falta agora é os europeus se arranjarem, diminuir a divergência entre eles (...) A gente estava cansado de ouvir eles dizerem que era a América do Sul que não queria fazer acordo, pois bem, nós nos preparamos, fizemos a proposta e está aprovada", declarou Lula.

O tema foi tratado entre Lula e a presidenta da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, durante a participação do petista na cúpula do G7, em junho.

"Agora depende da companheira Ursula von der Leyen, chefe da Comissão Europeia, vir sentar na mesa e a gente fechar finalmente o acordo", completou o presidente brasileiro.

O presidente francês, Emmanuel Macron, é um dos principais opositores ao acordo por conta de protestos de produtores agrícolas. Na França, Macron sofre pressão interna dos produtores locais, que são contra a parceria com o bloco latino-americano.

 

Acompanhe tudo sobre:BrasilBolíviaMercosulUnião Europeia

Mais de Brasil

André Mendonça, do STF, dá 30 dias para governo concluir renegociação das multas da Lava-Jato

Força-tarefa extingue 30 pontos de queimada no Pantanal, diz Marina

CCJ do Senado adia votação da PEC do marco temporal de áreas indígenas

Preocupação do brasileiro com violência cresce em quase um ano e chega a 19%, aponta Genial/Quaest

Mais na Exame