Leilão da rodovia Rio-Valadares acontece nesta sexta na B3

Empresa vencedora deverá realizar investimentos da ordem de 11,3 bilhões de reais ao longo dos 30 anos da concessão; edital prevê desconto de 5% no pedágio para usuários
Leilão da rodovia Rio-Valadares: edital prevê construção de ciclovias e desconto no pedágio (Marcos Vergueiro/Secom-MT/Divulgação)
Leilão da rodovia Rio-Valadares: edital prevê construção de ciclovias e desconto no pedágio (Marcos Vergueiro/Secom-MT/Divulgação)
Por Carla AranhaPublicado em 20/05/2022 06:00 | Última atualização em 20/05/2022 08:36Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

A B3, em São Paulo, deve encerrar a semana com a realização de um dos maiores leilões de infraestrutura de transportes do país. O sistema rodoviário Rio-Valadares, que engloba trechos da BR-116, 465 e 465, vai a leilão nesta sexta, dia 20, com lances pela menor tarifa e maior valor de outorga. A expectativa é que a gestão do ativo passe das mãos da Concessionária das Rodovias Centrais do Brasil (Concebra) para grupos como a Ecorodovias, que vem revelando, nos bastidores, interesse pelo leilão.

A empresa vencedora deverá administrar os quase 730 quilômetros de estrada entre o Rio de Janeiro e Governador Valadares, em Minas Gerais, durante 30 anos, mediante investimentos da ordem de 11,3 bilhões de reais em manutenção e melhorias. Estão previstas obras como a duplicação de 303,2 quilômetros e 255 quilômetros de faixas adicionais, além da construção de mais de 85 quilômetros de vias marginais, 1.630 quilômetros de ciclovias e 75 passarelas.

O edital prevê também um desconto tarifário de 5% para usuários de sistemas de cobrança automático, como o Sem Parar. Além disso, o sistema “free flow”, de pagamento eletrônico com base na distância percorrida, deverá ser instituído em toda a rodovia.

A Ecorodovias, que opera as rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto, em São Paulo, permanece como uma forte (e talvez a única) concorrente. A empresa ganhou a concessão da BR-153, em Tocantins e Goiás, no ano passado, mediante compromisso de investimento de quase 8 bilhões de reais. Outro grande leilão de rodovias, da Presidente Dutra, foi vencido pela CCR, também em 2021. Grupos menores têm optado por concessões que demandam menos investimentos.

LEIA MAIS: