Brasil

FGTS: Barroso afirma que pode alterar voto para mudança na correção começar em 2026

Presidente do STF justificou eventual mudança devido a chuvas no Rio Grande do Sul

Luís Roberto Barroso, presidente do STF (Gustavo Moreno/STF/Divulgação)

Luís Roberto Barroso, presidente do STF (Gustavo Moreno/STF/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 12 de junho de 2024 às 15h26.

Tudo sobreFGTS
Saiba mais

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quarta-feira que aceita alterar seu voto na ação que discute uma possível mudança na remuneração do FGTS, para que o resultado do julgamento só tenha efeito a partir de 2026. Barroso afirmou que isso poderia ocorrer devido às chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul, mas ainda não concretizou a alteração em seu voto.

Barroso, que é o relator do processo, fez a declaração na retomada do julgamento, nesta quarta. O presidente do STF propôs mudar a correção do FGTS para a mesma taxa da poupança e já foi acompanhado por outros dois ministros. Barroso havia sugerido, no ano passado, que uma eventual alteração só deveria valer a partir de 2025.

Também no início da sessão, o advogado-geral da União, Jorge Messias, reforçou a proposta do Executivo, de que a correção seja pelo menos igual à inflação.

O julgamento foi reiniciado com o voto do ministro Cristiano Zanin, que havia pedido vista no ano passado. Zanin abriu divergência e votou para rejeitar a ação.

Acompanhe tudo sobre:Luís Roberto BarrosoSupremo Tribunal Federal (STF)FGTS

Mais de Brasil

BNDES divulga edital de concurso com salário inicial de R$ 20.900; veja detalhes

Pré-candidatos tentam evitar 'palavras-mágicas' para não serem punidos por campanha antecipada

Após prestigiar Boulos, Lula só deve participar de mais uma convenção de candidatos; saiba qual

No Brasil para o G20, secretária do Tesouro dos EUA discutirá economia e geopolítica

Mais na Exame