EXAME/IDEIA: Para 69%, ação política acabou com a Lava Jato

Apesar de a Lava Jato ter acabado, a pesquisa EXAME/IDEIA mostra que 80% dos brasileiros são favoráveis à força-tarefa contra a corrupção

Após sete anos, 79 fases e 174 pessoas condenadas - incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - a operação Lava Jato chegou ao fim na semana passada. E para 69% dos brasileiros, a ação de políticos para barrar o trabalho do Ministério Público Federal (MPF) foi o principal motivo para o encerramento da força-tarefa. Outros 13% acreditam que o fim da operação coincidiu com o fim das investigações, ou seja, não havia mais nada a apurar. Já 15% acreditam que o fim da corrupção no Brasil foi o grande motivo.

Os dados são da pesquisa inédita EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento ouviu 1.200 pessoas entre os dias 9 e 11 de fevereiro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Clique aqui para ler o relatório completo.

A percepção de que a ação política foi determinante para o fim da Lava Jato é maior quanto mais escolarizadas as pessoas são. Entre os entrevistados com curso superior, 82% acreditam que este foi o principal motivo. Nas classes A e B, esse é o entendimento para 76%. Já para as classes D e E, o fator político foi preponderante para 50%. Apesar de ter acabado, 80% dos entrevistados são favoráveis à continuação dos trabalhos da força-tarefa, e 20% contrários.

“A operação Lava Jato continua amplamente bem avaliada pela população. Quando indagados sobre o conhecimento do fim da operação, aproximadamente 60% desconhecem. O que nos revela que a repercussão do fim da mesma foi tímida comparada a atenção dada durante sua execução”, avalia Maurício Moura, fundador do IDEIA.

De fato, a operação Lava Jato não acabou totalmente, mas perdeu força. A equipe temporária - que precisava de autorização periódica do Procurador-Geral da República para continuar - se tornou um Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Além de ser permanente, a diferença é que 10 dos 19 membros não têm mais dedicação exclusiva, acumulando os trabalhos do grupo especial com os da lotação de origem.

Aprovação de Bolsonaro

A pesquisa EXAME/IDEIA também avaliou a gestão do presidente Jair Bolsonaro. Do total de entrevistados, 27% aprovam a maneira do presidente trabalhar. O percentual indica uma ligeira queda desde a última pesquisa EXAME/IDEIA do fim de janeiro, quando estava em 29%. A oscilação é dentro da margem de erro da pesquisa, que é de três pontos percentuais, portanto é considerada estável.

A desaprovação passou de 42% para 44%. Aqueles que nem aprovam nem desaprovam eram 24% na última pesquisa, e agora somam 26%.

“A avaliação do presidente Jair Bolsonaro segue estável, oscilando na margem de erro. É importante notar a vulnerabilidade que se apresenta no Nordeste, com 21% de aprovação e 46% de desaprovação. O efeito do fim do auxílio certamente já foi sentido nesta região”, diz Maurício Moura.

Em uma outra questão da pesquisa, em que é abordado o auxílio emergencial, 48% acreditam que o benefício será concedido novamente. Entre os entrevistados, 66% esperam que o pagamento volte neste semestre.

Em entrevista a Mansueto Almeida, economista-chefe do BTG Pactual (do mesmo grupo de controle da EXAME), dentro programa BTG Atualidades, na quinta-feira, 11, o ministro da Economia, Paulo Guedes disse que o governo federal só pode conceder um novo auxílio emergencial, caso o Congresso Nacional aprove um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) de guerra, como foi feito na primeira liberação para combater a covid-19, no começo de 2020.

Para ele, o benefício deve diminuir com o aumento da vacinação. “Teremos duas curvas: uma de vacinação em massa, subindo para imunizar a população, enquanto as camadas protetivas que eram 600 reais, caíram para 300, podem descer para 250 reais e depois aterrissar de novo no programa Bolsa Família”, disse Guedes.

O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras com os principais temas da cena política nacional. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.