Brasil

Delator da Petrobras cita 28 políticos, diz jornal

Confira a lista dos políticos citados por Paulo Roberto Costa


	Paulo Roberto Costa: segundo o ex-diretor, alguns dos políticos recebiam frequentemente repasses que podiam superar R$ 1 milhão
 (Ueslei Marcelino/Reuters)

Paulo Roberto Costa: segundo o ex-diretor, alguns dos políticos recebiam frequentemente repasses que podiam superar R$ 1 milhão (Ueslei Marcelino/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de dezembro de 2014 às 08h12.

São Paulo - Em 80 depoimentos, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa citou 28 nomes que teriam se beneficiado do esquema de corrupção na Petrobras, segundo reportagem publicada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” nesta sexta-feira.

Na lista, estão ministros e ex-ministros da gestão Dilma, governadores e ex-governadores, além de parlamentares. De acordo com a publicação, que diz ter tido acesso à lista completa, são mencionados 10 políticos do PP, 8 do PT, 8 do PMDB, 1 do PSB e 1 do PSDB.

Entre os nomes que ainda não haviam sido revelados está o do governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014.

Já entre políticos do primeiro escalão, são citados o ex-ministro Antonio Palocci (PT), os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e os ex-comandantes das pastas da Casa Civil e de Cidades, Gleisi Hoffmann e Mário Negromonte.

Entre os ex-governadores, estão Sérgio Cabral (PMDB), do Rio, Roseana Sarney (PMDB), do Maranhão, e Eduardo Campos (PSB), de Pernambuco, que morreu em um acidente de avião neste ano durante a campanha presidencial.

Segundo o ex-diretor, alguns dos políticos recebiam frequentemente repasses que podiam superar R$ 1 milhão para alimentar suas campanhas eleitorais. Outros receberam esporadicamente, como seria o caso do ex-senador tucano Sérgio Guerra, que teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobras no Senado. Sobre a maioria dos políticos só são citados os nomes e não se sabe os valores exatos que receberam.

Paulo Roberto foi preso na Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal há 16 meses para investigar esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobras. Após acordo de delação premiada, o ex-diretor passou a cumprir prisão domiciliar. Em sua sétima fase, a operação tem 36 réus em ações penais, incluindo nomes ligados a empreiteiras.

Procurados pelo jornal, os acusados pelo ex-diretor negaram envolvimento nas irregularidades e questionaram o vazamento do depoimento.

Confira abaixo a lista completa dos 28 polítcos citados por Costa

Nome Partido Cargo
Gleisi Hoffmann PT-PR Ex-ministra da Casa Civil
Humberto Costa PT-PE Senador
Antonio Palocci PT-SP Ex-ministro da Casa Civil
Lindbergh Farias PT-RJ Senador
Tião Viana PT-AC Governador reeleito do Acre
Delcídio Amaral PT-MS Senador
Cândido Vaccarezza PT-SP Deputado federal
Vander Loubet PT-MS Deputado federal
Renan Calheiros PMDB-AL Presidente do Senado
Edison Lobão PMDB-MA Ministro de Minas e Energia
Henrique Alves PMDB-RN Presidente da Câmara
Sérgio Cabral PMDB-RJ Ex-governador do Rio
Roseana Sarney PMDB-MA Ex-governadora do Maranhão
Valdir Raupp PMDB-RO Senador
Romero Jucá PMDB-RR Senador
Alexandre José dos Campos PMDB-RJ Deputado federal
Eduardo Campos PMDB-PE Ex-governador de Pernambuco
Sérgio Guerra PSDB-SP Ex-presidente nacional do PSDB
Ciro Nogueira  PP-PI Senador
João Pizzolatti PP-SC Deputado federal
Nelson Meurer PP-PR Deputado federal
Simão Sessim PP-RJ Deputado federal
José Otávio Germano PP-RS Deputado Federal
Benedito de Lira PP-AL Senador
Mário Negromonte PP-BA Ex-ministro das Cidades
Luiz Fernando Faria PP-MG Deputado federal
Pedro Corrêa PP-PE Ex-deputado federal
Aline Lemos de Oliveira PP-SP Deputada federal
Acompanhe tudo sobre:Capitalização da PetrobrasEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasGás e combustíveisIndústria do petróleoOperação Lava JatoPetrobrasPetróleo

Mais de Brasil

RS: eleitor tem até quinta-feira para regularizar ou transferir título

Governo flexibiliza Lei de Licitações para casos de calamidade como o Rio Grande do Sul

Sobe para 157 número de mortos devido às fortes chuvas no RS; veja serviços parados

Fortes chuvas devem atingir Sul e Nordeste; RS deve enfrentar frio intenso

Mais na Exame