Brasil
Acompanhe:

Elektro, Celesc e EDP Bandeirante limitaram oferta elétrica

A Elektro informou que a interrupção demorou aproximadamente 45 minutos, entre 15h e 15h45, período no qual a companhia reduziu a oferta em 200 MW


	Energia: razão para a medida ainda não foi comunicada pelo ONS
 (Bruno Vincent/Getty Images)

Energia: razão para a medida ainda não foi comunicada pelo ONS (Bruno Vincent/Getty Images)

A
André Magnabosco

19 de janeiro de 2015, 17h00

São Paulo - A Elektro, distribuidora de energia com atuação nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, a Celesc, com atuação em Santa Catarina e Paraná, e a EDP Bandeirante, que atende parte do estado de São Paulo, também reduziram a carga de energia distribuída na tarde desta segunda-feira, 19, seguindo orientação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A razão para a medida ainda não foi comunicada pelo ONS.

A Elektro informou que a interrupção demorou aproximadamente 45 minutos, entre 15h e 15h45, período no qual a companhia reduziu a oferta em 200 MW, ou 6% da capacidade da companhia.

A Elektro atende 228 municípios, sendo 223 em São Paulo e cinco em Mato Grosso do Sul.

A Celesc também reduziu a oferta de energia durante o mesmo intervalo de 45 minutos.

Por determinação do ONS, o corte de carga foi de 150 MW, equivalente a 3,7% da demanda no momento.

A Celesc atende 257 dos 293 municípios catarinenses, além do município de Rio Negro, no Paraná.

Já a EDP Bandeirante, que abastece o Alto do Tietê, o Vale do Paraíba e parte do litoral Norte de São Paulo, informou a redução da carga em seu sistema, medida que afetou o fornecimento de energia elétrica em parte dos municípios de Caçapava, Guarulhos, Poá e São José dos Campos.

A companhia não informou a carga limitada pelo ONS.

As atividades da EDP Bandeirante, assim como a das demais distribuidoras de energia, já foram restabelecidas.