DPU acompanha instalação de mineradora próxima a Belo Monte

A Defensoria Pública da União está preocupada com os impactos causados pelos empreendimentos aos povos indígenas e populações ribeirinhas que vivem na região

Brasília - A Defensoria Pública da União (DPU) informou que acompanha com preocupação o pedido de instalação de uma mineradora de ouro em área próxima à barragem da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará, feito pela empresa canadense Belo Sun Mineração, por meio de sua subsidiária no Brasil.

A DPU e outras entidades se dizem preocupadas com os impactos causados pelos empreendimentos aos povos indígenas e populações ribeirinhas que vivem na região.

O projeto da empresa canadense está situado a aproximadamente 14 quilômetros da barragem da hidrelétrica e nas cercanias de terras indígenas e vai utilizar recursos do Rio Xingu, segundo a Defensoria.

O defensor público federal em Altamira, Ben-Hur Cunha, disse que a instalação da DPU no município paraense foi consequência das violações decorrentes da construção da usina de Belo Monte, que impactou o meio ambiente e o modo de vida dos ribeirinhos e populações indígenas e que o novo empreendimento pode agravar a situação.

“Há risco evidente de possibilidade de potencialização dos impactos de Belo Monte por Belo Sun, que não pode ser pensada sem considerar o que já se verificou com a instalação da usina hidrelétrica.”

Belo Sun

A Belo Sun Mineração informou que o projeto, batizado de Volta Grande, já obteve a licença prévia, primeira etapa do licenciamento ambiental, em fevereiro de 2014. A autorização foi concedida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

“A concessão leva em consideração a concepção da viabilidade ambiental do empreendimento, a aprovação do estudo de impacto ambiental e do relatório de impacto ambiental, além da realização de duas audiências públicas, que contaram com cerca de 2 mil participantes, entre moradores e autoridades. A empresa promoveu, ainda, mais de 80 encontros, com 1,5 mil pessoas, para levar informações detalhadas sobre o empreendimento”, diz a companhia em nota.

De acordo com a mineradora, as próximas fases do projeto dependem da obtenção da licença de instalação.

De acordo com a empresa canadense, a mina na região de Belo Monte deverá produzir seis toneladas de ouro por ano, com vida útil estimada de 17 anos.

Durante a fase de construção, segundo a mineradora, serão gerados aproximadamente 5 mil postos de trabalho. Quando a mina estiver operando, serão cerca de 3 mil vagas, entre trabalhadores diretos e indiretos.

Cerca de R$ 1,5 bilhão devem ser investidos no projeto.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.