CPI da Covid ouve ex-ministro Nelson Teich nesta quarta

Senadores querem saber o porquê de ele ter deixado a pasta com menos de um mês à frente do cargo
 (Adriano Machado/Reuters)
(Adriano Machado/Reuters)
A
Alessandra AzevedoPublicado em 05/05/2021 às 06:00.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura ações e possíveis omissões do governo durante a pandemia de Covid-19 ouve nesta quarta-feira, 5, o ex-ministro da Saúde Nelson Teich. Sucessor de Luiz Henrique Mandetta, ele esteve à frente da pasta por menos de um mês, entre 17 de abril e 15 de maio de 2020.

O depoimento de Teich, segundo da comissão, estava marcado para terça-feira, 4, mas os senadores resolveram remarcar para quarta, depois que o ex-ministro Eduardo Pazuello avisou que não poderia comparecer na quarta por ter se encontrado com pessoas com suspeita de covid-19.

Teich será questionado sobre o porquê de ter deixado o ministério depois de apenas 29 dias no cargo. Senadores afirmam que é importante saber se a saída tem a ver com a insistência de Bolsonaro em ir contra medidas de isolamento social e com as recomendações do uso de cloroquina mesmo sem eficácia comprovada, da qual Teich, assim como Mandetta, discordava.

"Quanto ao Teich, cujo período foi muito curto, vamos procurar entender o seu processo de condução do ministério da Saúde e possíveis razões para sua saída precoce", afirmou o senador Eduardo Girão (Podemos-CE). A expectativa é que o depoimento de Teich seja bastante técnico, já que ele, ao contrário de Mandetta, ouvido terça, não tem pretensões políticas.

Também são esperadas perguntas sobre a procura por vacinas contra a covid-19. Teich será questionado a respeito do posicionamento e das iniciativas do ministério em relação à imunização. Quando ele era ministro, os testes clínicos em humanos estavam começando a ser feitos e já havia expectativa para contratos com farmacêuticas dentro de poucos meses.

Em algumas ocasiões, nos últimos meses, o ex-ministro adotou uma postura crítica ao governo Bolsonaro. Em uma entrevista à CNN Brasil, Teich afirmou que o presidente "deixou clara a posição" e "não quer ser uma liderança na vacinação da covid-19 no Brasil".


O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras com os principais temas da eleição americana. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Entenda como as decisões da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.