Com retomada, roubos de celular disparam em SP; veja regiões mais afetadas

Apesar do aumento de 60% nos registros de maio para junho, casos ainda ficam 32% abaixo do nível de um ano atrás, mostra estudo da FECAP

Com a flexibilização das medidas de isolamento contra a covid-19, à medida que o movimento de pessoas nas ruas vai aumentando, a atividade vai retomando suas características pré-pandemia. E esse movimento inclui, infelizmente, roubos de celular.

Em junho, os casos aumentaram em mais de 60% em relação a maio no estado de São Paulo, segundo estudo do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime, da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP). (Veja gráficos abaixo).

Vale ressaltar que o nível do mês ainda é 32% inferior ao registrado há um ano.

De março a maio, a prática teve uma queda expressiva, levando a um recuo de 38% no número de roubos na primeira metade do ano, se comparada ao mesmo período de 2019 (70 mil).

O recuo mais acentuado foi em maio, de 58% em relação ao mesmo mês do ano passado.

 

O período do dia de maior ocorrência de roubo é durante a noite (44,57%), seguido da tarde (22,08%), manhã (18,94%), madrugada (14,14%) e em hora incerta (0,26%).

Bairros da capital

Grajaú, na zona sul da cidade, é o bairro paulista com maior número de ocorrências, (1.092), o que representa 1,57% do total de boletins registrados no estado, 2,73% das ocorrências da capital.

Os dez bairros com maiores números de ocorrências representam 10,53% do total de casos registrados (7.329). Ao considerarmos apenas a capital, essa parcela sobe para 18,32% do total.

Os locais com maior número de roubos:

Cidades paulistas

As 10 cidades com maiores taxas de roubo correspondem a 76,54% do total de ocorrências em todo estado, conclui o estudo, com 53.291 ocorrências.

A capital tem a maior quantidade de registros (39.996), com 57,44% do total.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.